De janeiro a maio deste ano o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) realizou 2.506 atendimentos de pessoas vítimas de queda. Dentre os tipos de quedas, está em primeiro lugar, a queda do mesmo nível com 1.645 atendimentos, ou seja, 65% desse total de atendimento.

Queda do mesmo nível é quando o paciente cai sem que haja elevação do nível do solo. As consequências da queda dependem, essencialmente, da forma como ocorre o impacto no solo e da parte do corpo que sofre a lesão. O médico ortopedista do HUT, Dr. André Leal, especialista em cirurgia de mão, explica que os idosos, em especial as mulheres são mais vulneráveis a sofrerem queda.

“As mulheres por conta da menopausa ocorre uma queda na produção de hormônios. Isso impede que o cálcio seja absorvido pelos ossos ocasionando a osteoporose. Isso acontece também com os homens, porém com menos intensidade”, explicou o ortopedista.

Quando relacionado pela faixa etária, os idosos com idade acima de 60 anos aparecem em primeiro lugar com 556 atendimentos, em segundo vem as vítimas entre 41 e 60 anos com 334 atendimentos e em terceiro pacientes entre 19 a 40 anos com 295 atendimentos. Além disso, temos os jovens com idade entre 11 e 18 anos com 184 atendimentos e crianças com idade entre zero e dez anos com 276 atendimentos.

Clara Leal, diretora geral do HUT, preocupada com esse grande número de casos de quedas com idosos, dá algumas dicas de como prevenir acidentes. “É necessário fazer uma ergonomia melhor na casa, adaptações que propiciem uma melhor locomoção para o idoso, por exemplo, tapetes, banheiros com suporte de sustentações, interruptores próximo a cama são fatores que podem evitar um acidente”, disse a diretora.

Francisca Rodrigues, 71 anos, por conta de uma queda está internada no HUT há 16 dias. “Eu estava sentada e quando fui levantar senti uma forte tontura. Não consegui me segurar e acabei caindo no chão. Na queda fraturei o fêmur. Fiz cirurgia e já estou me recuperando”, explicou a paciente.

Com relação aos outros tipos de queda o HUT atendeu esse ano 417 vítimas de queda de outras alturas, 128 de leito, 103 de escada e 76 atendimentos de outras formas de quedas. Em 2018, o HUT atendeu 6.370 vítimas de queda, a principal causa foi queda do mesmo nível com 4.189, em seguida 952 outras alturas, leito foram 377, objeto sobre a pessoa 339, escada 271 e 242 outros tipos de quedas.