Ascom/Semec

O uso de materiais didáticos manipuláveis como recurso pedagógico nas aulas vem auxiliando e incentivando os estudantes da escola Municipal Professora Ana Bugyja Brito durante o processo de ensino-aprendizagem de conteúdos matemáticos. Os alunos das turmas do 2º ano estão estudando sistema de numeração decimal e construíram seu próprio material de estudo, o ábaco, com a supervisão das professoras Balbina das Neves Brito, Michele Silva Marques e Ana Gabriella Vaz Barreto.

Segundo Balbina, associar a teoria com a prática na utilização de construção de material propicia uma abordagem de maneira clara e sucinta, tornando o trabalho da matemática prazeroso e dinâmico.

“Tais materiais contêm riqueza e diversidade, propondo uma metodologia que permita aos alunos a construção do conhecimento com a mediação do professor durante o processo de elaboração dos materiais didáticos manipuláveis e na aplicação em sala de aula. Assim, estamos aplicando uma metodologia alternativa, para ser utilizada durante o ensino da matemática, deixando mais divertida a forma de aprender”, explica Balbina.

Michele diz que o uso dos materiais ajuda aos estudantes a superarem as dificuldades na aprendizagem da matemática. “Estamos associando a teoria com a construção do material a ser utilizando, como forma de incentivar os estudantes a gostarem da matemática. Eles estão aprendendo brincando. Podemos perceber a concentração, o raciocínio lógico, interação, participação coletiva e os aspectos socioemocionais, afetivos e cognitivos numa só atividade”, destaca.

Ana Gabriella conta que a ação faz parte das oficinas oferecidas pela Secretaria Municipal de Educação para facilitar o ensino da matemática para os alunos.

“A secretaria oferece oficinas de Jogos Matemáticos, que consiste na troca de experiências de acordo com as habilidades de cada professor. Durante as formações os professores realizam a construção de diversos materiais que possuem recursos didáticos pedagógicos como: ábaco, tangram, QVL, material dourado, escala de cuisenaire e vários outros jogos, que auxiliam no aprendizado dos alunos. A aplicação desses jogos em sala de aula surge como uma oportunidade de socializar com os alunos, buscando a cooperação mútua e a participação dos estudantes para solucionar o problema proposto pelo professor”, conclui.