O Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar Professora Ceiça Carvalho (CMAM) realiza nesta quita (10), a partir das 10h, entrega de presentes às crianças atendidas no local. Durante toda a semana, várias atividades diferenciadas estão sendo desenvolvidas  em comemoração ao 12 de outubro. O espaço atende jovens com idade entre 5 e 16 anos que são encaminhados pelas escolas da rede municipal de ensino com suspeita de algum transtorno, como dislexia, transtorno do déficit de atenção com hiperatividade (TDAH), transtornos emocionais e de fala.

“Nosso dia D dessa semana será nesta quinta, onde teremos a abertura das atividades às 9h com o coral do Projeto Música Para Todos. Depois teremos Teatro Emília e Suas Travessuras, lanche especial e, às 10h30, a entrega dos presentes”, explica a diretora do CMAM, Daniela Escórcio.

Os itens foram arrecadados devido ao Projeto Brincando de Doar. “É uma ação social que tem por objetivo arrecadar brinquedos novos e material escolar para doar aos alunos atendidos aqui, em comemoração ao Dia das Crianças. Nesse sentido, buscamos promover a solidariedade e potencializar a integração e criatividade dos nossos colaboradores, bem como favorecer a autoestima dos alunos, que em sua grande maioria encontram-se em situação de vulnerabilidade social”.

Desde de a última segunda-feira (7), o Centro realiza atividades diferenciadas para as crianças, com cineminha, oficina de pintura de rosto, Teatro Seduc, serviço de corte de cabelo masculino e outros. É uma parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS), que disponibiliza para as crianças os profissionais capacitados e marcação de consultas necessárias, com a Secretaria Municipal de Educação (SEMEC), que dá o apoio referente ao material terapêutico utilizado e o feedback das escolas sobre o desempenho dos pacientes.

Outra parceria importante no tratamento das crianças e adolescentes vem da família ou responsável legal. “O nosso trabalho é em tríade, o CMAM, a escola e a família. A escola fica acompanhando junto aos responsáveis para que a criança não falte aos atendimentos”, enfatiza Daniela Escórcio.