Levando em conta todo o lixo recolhido das ruas e de terrenos baldios pelas equipes da Prefeitura de Teresina na zona Sul da cidade, entre os meses de janeiro e novembro deste ano, houve um aumento de 21% em relação ao mesmo período de 2018.

Mais precisamente, foram 26,5 mil toneladas recolhidas manualmente após o trabalho de capina e varrição e mais 26,7 mil toneladas retiradas com o uso de máquinas nas chamadas áreas de transbordos, totalizando mais de 53 mil toneladas de lixo.

Na avaliação do gerente de Serviços Urbanos do órgão, Marcelo Mourão, além de uma ampliação no trabalho realizado pelas equipes de limpeza, esses números comprovam que a falta de conscientização ainda é uma realidade no tocante às formas corretas de descarte do lixo e limpeza das áreas públicas de um modo geral.

“As pessoas precisam entender que, por mais que a Prefeitura faça investimentos, por mais que se organize, nunca será possível ter equipes de limpeza em todas as ruas da cidade ao mesmo tempo. A população precisa atuar de forma mais ativa nesse processo, fazendo sua parte, descartando seu lixo da forma adequada”, ressaltou Mourão.

De acordo com a organização do serviço de coleta de lixo da cidade, os caminhões coletores passam sempre três vezes por semana: às segundas, quartas e sextas ou terças, quintas e sábado, de acordo com a programação. Além disso, cada SDU possui equipes para realizar o trabalho de varrição, capina, limpeza de galerias, controle e limpeza de áreas verdes e praças, entre outras coisas.

“Estamos sempre atendendo as solicitações dos moradores e nunca vamos deixar de fazer isso, mas é importante destacar que o lixo jogado nas ruas e em terrenos baldios representa sempre muito prejuízo, seja de recursos financeiros, que poderiam estar sendo utilizados em outras demandas, seja no tocante à saúde pública”, complementou o gerente.

Um dos trabalhos realizados pela SDU Sul atualmente é uma ação de limpeza preventiva nas galerias e bueiros da região. “Essa é uma atividade que realizamos todos os anos antes do início do período chuvoso e sempre encontramos muito material jogado nesses locais. A medida visa evitar alagamentos e outros transtornos para a comunidade”, lembrou Mourão.