Causas oftalmológicas foram o terceiro maior motivo de procura ao serviço do Hospital de Urgência de Teresina (HUT) em 2019. Entre janeiro e dezembro do ano passado, foram 9.587 atendimentos, dos quais 4756 foram a pessoas que deram entrada por motivos de corpo estranho no olho e 4381 por dor no olho – as duas causas somadas chegam a 16% do total de atendimentos.

No mesmo período, foram realizadas 268 cirurgias oftalmológicas no HUT. Foram feitos ainda 8043 procedimentos oftalmológicos de natureza mais simples, o que equivale a uma média de 22 por dia. O HUT é o único hospital público que oferece à população atendimento oftalmológico de urgência e emergência 24 horas por dia, com profissionais especializados em plantão presencial, para atender casos clínicos e também traumas oculares.

Um dos casos atendidos na clínica oftalmológica do HUT foi o de Roberto Marques de Araújo. O jornalista de 44 anos sofreu uma agressão física e deu entrada no HUT com laceração da pálpebra. Ele foi prontamente atendido pela equipe, que realizou uma cirurgia de reconstrução parcial da pálpebra, e recebeu alta na quarta-feira (08). Ele conta que tinha uma imagem do HUT como um “hospital de guerra” e foi surpreendido pelo serviço. “Eu fui muito bem tratado, principalmente pela equipe do setor de oftalmologia. Os plantonistas foram bastante atenciosos, desde o momento que entrei, passei pelo tratamento e me restabeleci, e só tenho a agradecer”, conta o paciente.

O oftalmologista Igor Marcelos conta que as principais demandas atendidas na clínica são relacionadas a acidentes de trabalho com pessoas que não usam os equipamentos de proteção individual. “São serralheiros que não utilizam equipamento de proteção adequada e apresentam corpo estranho no olho, geralmente metálico. Outras demandas que aparecem bastante são acidentes de moto, com pessoas que não usam capacete e sofrem traumas na região ocular”, afirma. O médico destaca ainda as demandas clínicas, como neurites e inflamações.

Já os casos cirúrgicos mais frequentes são relacionados à laceração de córnea. “A córnea é a primeira camada do olho, por isso é muito comum ela ser cortada por traumas. O procedimento envolve a reconstrução das estruturas por sutura para evitar que o olho fique aberto, perca conteúdo intraocular ou mesmo sofra uma infecção”, explica o médico.

Para estes casos que necessitam de cirurgia, o HUT possui no seu centro cirúrgico uma sala equipada com um microscópio óptico adequado para atender esse tipo de demanda, especialmente de trauma ocular. O hospital conta com equipamento moderno e que permite a realização de procedimentos de alta precisão.