O Dia do Astronauta é comemorado em 9 de janeiro desde 1961, quando o astronauta russo, Yuri Gagarin, proclamou a famosa frase “a Terra é azul”. Na ocasião, o ser humano dava um importante passo na história da astronomia e exploração do espaço.

Em Teresina, a rede municipal de ensino, através do Programa Cidade Olímpica Educacional, vem incentivando os jovens a conhecerem mais sobre a ciência que estuda os corpos celestes. As aulas de astronomia têm despertado o interesse dos jovens, que passaram a se destacar em grandes competições de conhecimento. A disciplina também é uma das novidades implementadas com o novo currículo do município como fundamental eixo temático de ciências.

Em 2019, alunos de escolas municipais da capital conquistaram 141 medalhas na Olimpíada Brasileira de Astronomia e Astronáutica (OBA), onde competiram com estudantes de todo o país. Foram 31 medalhas de ouro, 59 de prata e 51 medalhas de bronze. Além disso, 26 deles foram pré-selecionados para participar das seletivas para a Olimpíada Internacional de Astronomia, que acontecerá este ano. Nela, serão determinados aqueles que devem compor as equipes brasileiras que competirão na Olimpíada Latino Americana de Astronomia e Astronáutica (OLAA).

Os alunos da rede municipal também se destacaram na 13ª Mostra Brasileira de Foguetes (MOBFOG), com 10 medalhas de bronze. A competição consiste no lançamento de foguetes construídos por eles. Os medalhistas são os que atingem as maiores distâncias nos lançamentos ao ar livre.

Com tanto sucesso no ensino da astronomia, estudantes e professores têm muito a comemorar nesta data. “Essa é uma aérea que cresce em Teresina, é maravilhoso ver o brilho nos olhos desses jovens a cada nova descoberta”, declara a professora Regina Ibiapina, coordenadora de astronomia do Cidade Olímpica.