O projeto Memória Ativa: Idoso Contador de Estória, Lenda e outros Causos ganhou o prêmio de melhor experiência do Piauí durante a 16ª Mostra Brasil Aqui tem SUS realizada no mês de julho de 2019, em Brasília. Como premiação garantiu a produção de um documentário para o Projeto Webdoc/Conasems, uma websérie documental que apresenta experiências exitosas das Secretarias Municipais de Saúde de todas as regiões do país. As gravações aconteceram nos dias 9 e 10 de janeiro em Teresina e em breve estará disponível na internet.

O projeto é desenvolvido na Unidade Básica de Saúde Poty Velho com o grupo de idosos local e coordenado pela enfermeira Nancy Loiola, em parceria com as profissionais Alexandrina Marinho, Deianna Sobral, Juraci Teixeira, Cecília Lima e Zulmira Barreira.

Luzia Maria Aguiar, 79 anos, participa do projeto e avalia a experiência. “Sempre participamos das reuniões, palestras, passeios. É um projeto muito importante, mudou muita coisa em minha vida, em minha memória. Temos muita coisa para contar”, comemora.

A coordenação do projeto explica que as ações trabalham para estimular memória dos idosos. “Durante 2017 e 2018 trabalhamos todas as memórias, dentro do projeto Memória Ativa, memória visual, olfativa, gustativa e de linguagem. Em 2019 escolhemos abordar as lendas. No encontro com as idosas perguntamos como elas ouviram as lendas quando eram mais jovens. Pretendemos no final do nosso projeto lançar um livro dessas lendas contadas pelos moradores do Poti Velho, que é o bairro mais antigo da cidade”, comenta a enfermeira Nancy Loiola.

Ela ressalta ainda a importância de cultivar a consciência que da mesma forma são feitas atividades físicas para manter o corpo com saúde, é fundamental realizar atividades para manter o cérebro vivo. “Com isso essas senhoras mantem a memória ativa e trazemos um resgate da nossa cultura, da nossa história. Um empoderamento para elas. Evitamos a depressão, o isolamento social e promovemos um melhor vínculo entre os profissionais e a comunidade, facilitando todo o processo de adesão ao tratamento”, destaca.

Segundo o presidente interino da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Francisco Pádua, a valorização dos trabalhos dos profissionais da Atenção Básica é essencial. “Nós parabenizamos os nossos servidores que participam do projeto. Eles conhecem as necessidades dos bairros e tiveram boas ideias levando soluções inovadoras. Fazem a diferença no atendimento dos usuários do SUS. Estes trabalhos locais podem, inclusive, direcionar ações em outros estados para aperfeiçoar a rede pública de saúde”, pontua.