Ascom/SDU Centro Norte

Casas em áreas de risco e ribeirinhas da zona Norte estão sendo monitoradas diariamente pela Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU/Centro-Norte. Nos meses de novembro e dezembro, quando foram intensificadas as ações preventivas, a Gerência de Habitação realizou 35 visitas domiciliares.

Na primeira quinzena de janeiro deste ano, as assistentes sociais fizeram 15 visitas nos bairros Parque Alvorada, São Joaquim, Água Mineral e Santa Rosa. Deste total, cinco famílias foram encaminhadas para o Programa Cidade Solidária da Secretária Municipal de Cidadania, Assistência Social e Política integradas (Semcaspi). Além disso, três casas passaram por vistoria dos engenheiros da Gerência de Obras e Serviços da SDU, e os serviços de melhoria serão feitos pelos proprietários. As demais famílias não quiseram sair dos imóveis.

A gerente de Habitação da SDU Centro Norte, Valmira Rodrigues, enfatiza que as visitas têm como objetivo proporcionar segurança para essas famílias que moram em casas de taipa ou de telha e que apresentam rachaduras nas paredes e pisos. “Fazemos as visitas para conversar com as pessoas e para encaminhar para algum programa social, a fim de evitar maiores problemas. Entretanto, algumas famílias insistem em permanecer nas casas”, disse.

A gerente destaca ainda que, além das visitas domiciliares, está sendo feita limpeza e o monitoramento das galerias, bueiros e lagoas. “O trabalho é feito em conjunto para garantir a segurança das família neste período chuvoso” complementa.

A dona de casa Maurilane dos Santos, 20 anos, mora na casa da sogra no Residencial Leonel Brizola há seis anos. Ela conta que procurou a SDU Centro Norte para tentar conseguir alguma ajuda, pois sua casa é de taipa, e toda vez que chove entra água. “Vim aqui fazer o cadastro para ser colocada no Programa Família Solidária e depois quero receber alguma ajuda para construir uma casa de tijolo”, complementa.

Valmira Rodrigues explica que o trabalho de assistência às famílias é feito de forma preventiva e sistemática. “Todos os dias recebemos pessoas procurando ajuda, e nossa alternativa é colocar essas famílias no Programa Família Solidária. Trabalhamos em parceria com a Secretaria Municipal de Desenvolvimento Urbano e Habitação-SEMDUH e a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi)”, acrescenta.

No ano passado, as equipes de assistentes sociais realizaram 220 visitas domiciliares, nas quais foram identificadas famílias em situações precárias afetadas pela ação das chuvas e alagamentos. Desse total, 110 foram encaminhados para inclusão no Programa Família Solidária (aluguel solidário) da Semcaspi. As demais não quiseram sair de suas casas.

Vistorias

Todas as gerências da SDU Centro Norte estão de prontidão. As gerências de Serviços Urbanos, Habitação e Obras e Serviços já estão em campo fazendo vistorias por toda a região.