A Fundação Municipal de Saúde (FMS), através da Gerência de Saúde Mental, realizou diversas ações em 2019 que melhoraram os atendimentos das pessoas com sofrimento psíquico. Uma delas foi a inauguração do novo Centro de Atenção Psicossocial: a sede própria do CAPS II Norte.

A unidade agora é qualificada como tipo III, com estrutura adequada para fazer o acolhimento noturno de usuários em crise. Sua estrutura mais ampla conta com quatro consultórios para atendimentos individuais, um consultório para atendimentos de enfermagem, uma sala de medicação, farmácia e repousos para usuários masculinos e femininos com banheiros adaptados. A obra custou R$ 1.011.228,27, oriundos de recursos federais com contrapartida da FMS. Até o final de fevereiro também será inaugurada a nova sede do CAPS III Sudeste, que teve investimento de R$ 1.1.311.128,02 para a construção de 728,50 m².

A Gerência de Saúde Mental implantou em 2019 o protocolo de atendimento em urgências e emergências em saúde mental incluindo a população em situação de rua. Além de também ter realizado o I Fórum do Grupo de Geração de Trabalho e Renda, que contou com a participação de empresas, usuários e profissionais dos CAPSs. “O objetivo foi mostrar o exemplo dos usuários dos CAPS que já estão no mercado de trabalho e como eles podem ser produtivos e contribuírem para as empresas, além de promover uma quebra de estigmas e preconceitos”, afirma Luanna Buenos, gerente de saúde mental de Teresina.

Pessoas com deficiência psicossocial apresentam sequelas de transtornos mentais, mas que não as incapacita de trabalhar e ter uma vida produtiva. Para o presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Charles Silveira, saúde e trabalho andam juntos. “Agregado ao trabalho da saúde mental, temos que buscar mecanismos, fazer com que essas pessoas que são tratadas, que têm uma nova forma de enxergar o mundo e têm uma vontade de viver, possam ser reinseridas no mercado de trabalho”.

Em 2019 a Gerência de Saúde Mental realizou 181 ações em alusão às datas da saúde mental: Janeiro Branco, Dia Nacional da Luta Antimanicomial ( 18 de maio), Dia Mundial da Saúde Mental ( 10 de outubro) e Dia Mundial de Prevenção do Suicídio ( 10 de setembro). O órgão implantou também o fluxo de atendimento ao comportamento suicida, no qual os profissionais que atuam na Rede de Saúde Mental de Teresina receberam atualização sobre prevenção ao suicídio com o tema “Manejo do paciente com comportamento suicida”.

Atualmente, Teresina possui uma rede de saúde mental bem estruturada e fortalecida. Fazem parte dela o PROVIDA, sete Centros de Atenção Psicossocial, um CAPS Infantil, um AD (Álcool e Drogas) e quatro CAPS tipo dois e dois CAPS tipo três. “Todos atendendo demandas de pessoas com ideação suicida. O suicídio, em 90% dos casos, é atrelado a algum transtorno mental”, afirma Luanna Bueno. Ela afirma ainda que, segundo as estatísticas, os jovens são os mais afetados. “Então entendemos que a rede de atenção psicossocial da capital precisa continuar esse fortalecimento diante dessa temática”, explica.