As regiões da Piçarreira (zona Leste) e Parque Brasil (zona Norte), serão contempladas esta semana pela Faxina nos Bairros, atividade de limpeza e educação da Prefeitura de Teresina. Amanhã (01), a partir das 8h, as equipes da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDU) percorrem as ruas em busca de potenciais criadouros do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya.

A ação já começou durante a semana, quando a população destes locais foi orientada pelos agentes de saúde e endemias a fazer uma limpeza em suas casas e depositar nas calçadas todo o material inservível, para que seja coletado pela equipe de limpeza, especialmente aqueles de grande porte, que não são recolhidos pela limpeza regular. “Solicitamos aos moradores que, a partir de hoje, já coloque todo esse material que serve para acumular água e não tenha utilização nas calçadas. Para que no sábado a prefeitura retire todos esses materiais e possa permanecer com os ambientes livres de criadouros”, explica a gerente de Zoonoses da capital, Oriana Bezerra.

A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do Aedes. Simultaneamente à coleta de lixo, as equipes de saúde percorrem casas dos bairros conversando com moradores e ensinando sobre as doenças e suas formas de prevenção.

Os quadrantes, percursos e ponto de partida das equipes são escolhidos de acordo com os números de infestação do mosquito e casos da doença. Na zona Norte, o ponto de encontro será o cruzamento das ruas Santa Luzia e São Pedro (no quarteirão 150), e o quadrante percorrido será o formado pela Alameda Francisco Nogueira, Avenida Poty Velho, Rua Alagoas e Rua da Horta. Já na zona Leste, o ponto de partida será a UBS Félix Francisco, e o quadrante será aquele formado pela Avenida João Antônio Leitão, Avenida Presidente Kennedy e Rua Tio Bentes.

Trabalhos como a Faxina nos Bairros têm contribuído para manter a capital em situação de controle da dengue e outras doenças. No último Levantamento Rápido do Índice de Infestação por Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, o Índice de Infestação Predial (IIP) – a relação entre o número de imóveis positivos para o mosquito pelo total pesquisado – de Teresina foi de 0,7%, considerado baixo risco pelos parâmetros do Ministério da Saúde.

No entanto, a gerente de Zoonoses da FMS pede que a população não se descuide. “É bom ressaltar que o período chuvoso está iniciando e que a oferta de potenciais criadouros deve ser reduzida, ou seja, as pessoas devem ser vigilantes nos seus ambientes residenciais, de trabalho, de lazer e religiosos, e com isso retirar todo e qualquer depósito que possa acumular água e se transformar num criadouro. A responsabilidade é de todos”, alerta Oriana Bezerra.