Ascom/Sdu Leste

A Superintendência de Desenvolvimento Urbano Leste (SDU Leste), por meio da Gerência de Controle e Fiscalização (GCF), já efetivou o cadastro de aproximadamente 130 ambulantes que irão instalar barracas no Corso 2020. A tradicional festa acontece no dia 15 de fevereiro, na Avenida Raul Lopes, zona leste de capital, e as inscrições seguirão até o dia 07 de fevereiro, das 8h às 13h30.

Os interessados já cadastrados estão atendendo os critérios estabelecidos pela gerência, tais como: documento original com foto (RG), CPF e comprovante de residência.

Para os que ainda não efetuaram a inscrição, o gerente da GCF, Lupércio Medeiros, esclarece que o procedimento é simples e não requer pagamento de taxa. “Não é necessário o pagamento de nenhuma taxa. A Prefeitura tem apenas o intuito de regularizar as barracas para que as mesmas fiquem em lugares apropriados, sem prejudicar o meio ambiente e proporcionar espaços mais amplos para a passagem das pessoas”, explicou.

Em seu terceiro ano consecutivo, a comerciante Maria Ubelina ressalta que leva a sua filha para auxiliar nas vendas de comidas e bebidas. “Esse já é o meu terceiro ano. Sempre vou coma filha para vender arrumadinho, refrigerante, cervejas e coquetéis. Ter essa barraca nesse período festivo é muito bom, pois ajuda muito no nosso orçamento”, disse.

Após realizarem o cadastramento, os interessados poderão montar suas barracas a partir do dia 13 de fevereiro. Os espaços serão demarcados pelos fiscais da GCF e os barraqueiros já estão saindo com os números correspondentes no ato da inscrição.

O chefe de divisão da gerência, Alberto Pádua, informa que as barracas deverão atender aos mesmos critérios estabelecidos todos os anos, correspondendo às dimensões de 3mx2m. Não será permitida a comercialização de bebidas em embalagens de vidro e a Prefeitura não disponibilizará pontos de energia. Além disso, cada barraqueiro será responsável pela limpeza de sua área ocupada.

Alberto Pádua alerta ainda para a importância das condições de higiene e manuseio do alimento que será comercializado no local. “É importante que os ambulantes atendam os foliões de maneira higiênica e cordial”, disse.