Ascom/ FMS

A Fundação Municipal de Saúde (FMS) realizou reunião, nesta quarta-feira (05), com representantes da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU), da Diretoria de Ações Especiais da FMS, Diretoria de Vigilância em Saúde da FMS, para discutirem os fluxos dos pacientes que possivelmente venham a ter o coronavírus na capital.

Participaram ainda da reunião a Diretoria de Atenção Básica da FMS, Diretoria Clínica do Instituto de Doenças Tropicais Natan Portella (HDIC), um representante do Laboratório de Saúde Pública do Estado (LACEN) e um representante da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).

“Estamos preparando e discutindo as possibilidades de serem feitos os encaminhamentos, e aguardando a Secretaria de Saúde do Estado para mostrarmos a nossa proposta e uniformizarmos os fluxos”, diz Amariles Borba, diretora de vigilância em Saúde da FMS.

Coronavírus é uma família de vírus que causam infecções respiratórias. O novo agente do coronavírus (nCoV-2019) foi descoberto em 31 de dezembro de 2019, após casos registrados na China. Os primeiros coronavírus humanos foram identificados em meados da década de 1960. A maioria das pessoas se infecta com os coronavírus comuns ao longo da vida, sendo as crianças pequenas mais propensas a se infectarem com o tipo mais comum do vírus. Os coronavírus mais comuns que infectam humanos são o alpha coronavírus 229E e NL63 e beta coronavírus OC43, HKU1.