Ascom/Semec

Para muitos, uma questão de autoridade. Para outros, uma questão de amizade. Os conflitos na relação entre pais e filhos ultrapassam gerações e são, desde sempre, motivo de debates e reflexões entre pessoas de todas as idades. A convivência entre o adulto e a criança traz à tona uma série de questionamentos que buscam solucionar os problemas enfrentados na hora de educar, impor limites e, ao mesmo tempo, transformar tudo isso em uma relação de confiança e cumplicidade.

Para refletir sobre esses aspectos, a equipe de profissionais do Centro Municipal de Atendimento Multidisciplinar Professora Ceiça Carvalho (CMAM) realiza, desde o inicio de 2019, reuniões com pais de alunos da Rede Municipal de Ensino. A intenção é orientá-los a lidar melhor com a criação dos filhos em casa. As reuniões ocorrem nas unidades de ensino, onde acontecem rodas de conversas com o objetivo de fortalecer a parceria escola e família.

As reuniões foram tão positivas que a psicóloga e psicanalista, Andréia de Sousa Leite Marques, publicou seu primeiro livro: ‘Relações pais e filhos e desenvolvimento mental de crianças’. O livro é uma coletânea de 17 artigos escritos a partir dos relatos de pais atendidos pelo CMAM.

“O livro é, de certa forma, um desabafo. Trago aqui 17 artigos, todos eles na perspectiva da saúde e desenvolvimento mental infantil, abordando sempre a relação pais e filhos, a dinâmica familiar e o que é ou não saudável para que essa criança de hoje se torne um adulto saudável de amanhã. O livro é uma leitura de fácil compreensão que trás orientações sobre a relação entre os pais e filhos e como lidar com os desafios de educar”, explica a psicóloga.

Ela destaca em seus artigos que a maioria dos conflitos têm origem na dificuldade de comunicação dentro de casa. Filhos acham que pais só querem proibir. Já os pais acham que os filhos só querem permissão. Para ela, esse ruído na comunicação “se traduz tanto pela dificuldade dos pais em afirmar autoridade em certas ocasiões, quanto dos filhos em manifestar aquilo que sentem falta e esperam receber”. O resultado é um processo de cobranças e acusações que esconde o verdadeiro desejo de ambos: sentir-se amado pelo outro.

Dessa forma, o livro é tem a proposta de orientar os pais como lidar com determinados assuntos. “Cada etapa tem suas dificuldades e conquistas, pois ocorrem em momentos diferentes. Isto dentro de uma relação entre pais e filhos é complicado, pois há sempre um novo desafio para ambos enfrentarem. Assim escrevi os textos de fácil entendimento para que possam lidar com os conflitos e ajudar a superar as dificuldades familiares”, conclui.