A Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina pede que os grupos mais vulneráveis à Covid-19 fiquem em casa. Os relatórios da Organização Mundial de Saúde (OMS) e do Ministério da Saúde apontam que algumas faixas da população são mais suscetíveis à Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus.

Entre os grupos de risco estão: Idosos, diabéticos, hipertensos, pessoas com insuficiência renal crônica, aqueles com doença respiratória crônica e indivíduos com doença cardiovascular. “Pessoas mais velhas ou com essas enfermidades podem ficar mais expostas e ter complicações decorrentes da Covid-19. O melhor é evitar contágio fazendo o distanciamento social destas pessoas. Fiquem em casa e evitem visitas”, diz Kledson Batista, Diretor de Atenção Básica da FMS.

A Covid-19, doença causada pelo novo coronavírus, é assintomática em 86% dos casos. Isso significa que a maioria das pessoas infectadas sequer sabe que está doente. Essa característica dificulta a contenção da doença, pois se o infectado não é diagnosticado, não é possível isolá-lo para evitar que dissemine o vírus.

Diante disso, a única forma de reduzir o risco de infecção é manter distância de outras pessoas. É exatamente esse o significado de distanciamento social: ficar longe o suficiente de outras pessoas para que o coronavírus – ou qualquer patógeno – não possa se espalhar. É por isso que estabelecimentos, escolas e universidades foram fechados e eventos acabaram cancelados.

A distância segura entre pessoas, segundo especialistas em saúde, é de no mínimo 1,5 metro. É importante respeitar essa orientação porque o coronavírus não é transmitido pelo ar, mas pelo contato com gotículas expelidas por um indivíduo contaminado. Isso torna a distância mínima necessária para evitar contaminação por gotículas que saem da boca da pessoa quando ela fala, por exemplo.