Rômulo Piauilino

Mesmo em tempos de pandemia, a Prefeitura de Teresina se mantém atenta à proliferação do Aedes aegypti, mosquito transmissor da dengue, zika e chikungunya. Para isso, acontece amanhã (21) mais uma edição da Faxina nos Bairros, atividade semanal de limpeza e educação em saúde. A partir das 8h, as equipes estarão nos bairros Colorado e Residencial Esplanada, respectivamente zonas Sudeste e Sul da capital.

A Faxina nos bairros é uma parceria entre a Fundação Municipal de Saúde (FMS) e as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) de cada região. O objetivo da ação é eliminar os criadouros do Aedes aegypti, uma vez que a principal ação de prevenção é evitar sua reprodução. Durante a semana, os moradores são avisados pelos agentes de saúde e endemias para fazer uma limpeza em suas casas e depositar nas calçadas todo o material inservível que será coletado pela equipe de limpeza no sábado, especialmente aqueles de grande porte que não são recolhidos pela limpeza regular.

“Solicitamos aos moradores que coloque todo esse material que serve para acumular água e não tenha utilização pelos moradores nas calçadas. Para que no sábado a Prefeitura retire todos esses materiais e possa permanecer com os ambientes livres de criadouros”, explica a gerente de Zoonoses da capital, Oriana Bezerra. A ideia é que toda a população dedique um dia da semana para verificar todos os possíveis focos do mosquito, fazendo uma limpeza geral em sua residência e impedindo a reprodução do Aedes.

As equipes se encontram em um local e de lá saem percorrendo um quadrante determinado para a limpeza. Na zona Sul, o ponto de encontro será a Praça do Residencial Esplanada, e o quadrante a receber a ação será aquele formado pela Rua Madre Santa Paulina, BR-316, Rua Nossa Senhora Guadalupe e Rua Nossa Senhora das Rosas. Já na zona Sudeste, o quadrante percorrido será aquele formado pela Av. Col Adail Jales de Carvalho, Av. Noé Mendes, Rua 01 Res. Redonda e Rua Ferrovia RFSA, com ponto de encontro Praça do Colorado, próximo à UPA Renascença.

Oriana Bezerra pede empenho da população para evitar a ocorrência de casos das doenças transmitidas pelo Aedes aegypti, especialmente as formas graves que podem vir a ocupar os leitos dos hospitais. “Desta forma, podemos contribuir também com o combate à pandemia de covid-19, uma vez que sem casos de dengue, zika ou chikungunuya, todos os esforços da saúde pública podem se voltar para o problema”, reforça a gerente de Zoonoses da FMS.