Famílias acometidas por enchentes, incêndios, alagamentos e outros infortúnios seguem contando com atendimento emergencial por parte do Programa Cidade Solidária. Segundo o mais recente levantamento divulgado pela Gerência de Proteção Social Básica (GPSB) da Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi), 231 famílias estão inclusas em um dos dois eixos de atuação do projeto de acolhimento: Residência Solidária e Família Solidária. Devido às circunstâncias atuais de pandemia, o plano de trabalho da articulação, que busca evitar as situações de aglomeração causadas pelo acolhimento coletivo vem assumindo nova relevância.

Segundo Kania Brito, coordenadora da GPSB da Semcaspi, os números correspondem à última folha de pagamento do mês de fevereiro. A previsão é que estes se elevem ainda mais, em decorrência das fortes chuvas que vêm acometendo a capital. “Estamos aguardando os cadastros das novas famílias atendidas, que serão enviados pelas Superintendências de Desenvolvimento Urbano”, explica Kania.

As novas famílias poderão ou indicar uma família para realizar o seu acolhimento, mediante recebimento de bolsa, ou direcionar auxílio-aluguel para família locadora de uma nova residência segura. O período de quarentena vem dando preferência a operacionalização do segundo caso. O cadastro pode ser realizado após solicitação de visita da Defesa Civil Municipal, que identifica as situações de risco e realiza as remoções, juntamente com a equipe dos CRAS e das SDUs.

Os Centros de Referência em Assistência Social fazem parte da equação identificando as demais necessidades do grupo familiar; caso se identifique o cenário das mesmas, também são oferecidas cestas básicas, kits acolhimento e kits de limpeza. Embora os servidores da Semcaspi e suas unidades, entre elas os CRAS, cujos atendimentos de natureza coletivas estão em suspensão, estejam funcionando em escala de trabalho para manutenção dos serviços essenciais à população, as equipes que operam o Cidade Solidária seguem trabalhando na normalidade, sendo tomadas as devidas medidas de segurança.

“Nossas equipes seguem em atividade, articuladas com as SDUs, para oferecer o atendimento essencial que essas famílias precisam. Estamos garantindo sua dignidade frente a esses infortúnios, adotando as medidas de higienização e distanciamento necessárias para que nossos colaboradores e usuários estejam seguros”, explica o secretário da Semcaspi, Samuel Silveira. “Pedimos que o resto da população continue cumprindo as medidas de quarentena, de forma que aqueles que têm de continuar na rua, atendendo à população, corram menos risco”.

A Defesa Civil também segue suas atividades, em plantão, para assegurar que as famílias possam seguir a quarentena em residências seguras. A população pode solicitar a Defesa através de ligação gratuita para o 153. Também se pode conhecer mais sobre o Cidade Solidária por meio do número (86) 3215-7593 ou do site e das redes sociais da Semcaspi e da Prefeitura de Teresina