Ascom/SDU Centro Norte

De janeiro a março deste ano, a Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU Centro-Norte incluiu 29 famílias, que viviam em áreas ribeirinhas e de risco, no Programa Família Solidária. Essas pessoas moravam no Leonel Brizola, Parque Wall Ferraz, Nova Brasília, Dilma Rouseff, Poti Velho, Padre Humberto, Cristalina, Parque Stael, Vila Apolônia, Parque Brasil I, II e III.

A gerente de Habitação da SDU Centro Norte, Valmira Rodrigues, relata que a adesão dessas famílias ao programa foi resultado de muita conversa. “Na verdade, fazemos o monitoramento dessas áreas o ano inteiro, dialogamos com as famílias e mostramos os riscos que elas correm permanecendo nessas casas”, enfatiza.

Valmira explica que esse trabalho é feito em parceria com a Semcaspi e tem conseguido garantir a segurança de muitas famílias. “O programa assegura moradia temporária para essas famílias num tempo de 6 meses a um ano, com isso proporcionamos um local digno para essas pessoas’, disse.

Ascom/SDu Centro Norte

As equipes de assistentes sociais e técnicos fazem o monitoramento diário dessas áreas e contam com a colaboração das lideranças comunitárias no sentido de conversar com as famílias para aceitarem a adesão ao programa. “Cada família que conseguimos tirar de uma área ribeirinha ou de risco é uma felicidade para nós que conhecemos a realidade de cada umas delas”, complementa.

A dona de casa Solange Santos, 35 anos, que é mãe de dois filhos, morava numa casa de taipa e toda vez que chovia tinha medo do que poderia acontecer, mas ela conta que depois que aceitou aderir ao Programa Família Solidária a situação melhorou. “Toda vez que chovia tinha muito medo, mas depois de passar pelo programa consegui essa casinha. Morei em casa de taipa uns 4 anos, foi muito sofrimento, mas agora estou morando em um local seguro com meus filhos”, acrescentou.