O médico endocrinologista e intensivista, Flávio Melo, ressaltou, neste domingo (29), durante conversa com o prefeito Firmino Filho, a importância da testagem por amostragem para entendermos o comportamento do vírus em Teresina e no Piauí. O bate-papo foi transmitido por live no Instagram do prefeito.

“No caso dos profissionais de saúde, os testes vão nos ajudar a identificar aqueles que foram infectados e facilitar a volta ao trabalho dos que foram afetados. Porém, eles também serão úteis para o rastreamento da população do ponto de vista epidemiológico e estatístico. Mesmo que agente não teste todo mundo, vamos trabalhar com amostragem e, com um trabalho bem feito, vamos poder conhecer melhor o inimigo, vamos conhecer o percentual de pessoas afetadas e de pessoas imunes. Isso vai ajudar, inclusive, a saber quando afrouxar as medidas de isolamento social”, disse.

O prefeito Firmino Filho está estudando a possibilidade da realização de testes rápidos em Teresina. A ideia é testar cerca de 900 pessoas assim que o Ministério da Saúde encaminhar o material, com o objetivo de detectar os focos, fazer o isolamento e o monitoramento da Covid-19. Para o médico, isso é importante para termos um real conhecimento do problema, já que hoje, segundo o profissional, há uma subnotificação muito grande no Piauí, devido ao fato de estarem sendo realizados poucos testes.

O médico reafirmou ainda a importância do isolamento social como a forma mais eficaz de conter o avanço do coronavírus em todo o país. “Nós temos uma arma que vem sendo testada e vem tendo resultados positivos em todo o mundo: ela se chama isolamento social e é praticamente a única arma realmente eficaz para o controle da situação. Existem algumas formas de isolamento, mas os casos de sucesso vêm de onde ele foi plenamente aplicado. É triste quando vemos pessoas dizendo que o isolamento deve acabar para preservar a economia. Os estudos mostram que o impacto econômico seria muito maior em uma pandemia sem controle do que com medidas restritivas. O isolamento deve ser feito com ampla adesão. É a única maneira de dá certo”, alertou.