Ascom/FMS

Depois de registros de aglomerações em filas de bancos e lotéricas da capital nesta terça-feira (31), o médico infectologista da Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina, Walfrido Salmito, faz um alerta à população para que mantenha a distância de 2 metros entre as pessoas e só saia de casa se for estritamente necessário. Essas condutas são recomendadas pelo Ministério da Saúde e visam evitar a disseminação do Coronavírus.

O infectologista afirma que há previsão de aumento dos casos da doença e que o isolamento é uma estratégia eficiente para evitar a disseminação do vírus. “É preciso que a população permaneça em suas casas. Caso contrário, os hospitais poderão ficar sobrecarregados se muitos adoecerem simultaneamente. Além disso, cerca de 10 a 15% destas pessoas irão precisar de hospitalização e 5% de UTI. Isso pode levar ao colapso dos serviços de saúde no país”.

O presidente da FMS, Manoel Moura Neto, afirma que a Prefeitura de Teresina está cumprindo o que dispõe o Plano de Contingência para o enfrentamento da doença, mas que é necessário que todos também façam a sua parte. “Estamos solicitando que as pessoas reduzam o trânsito desnecessário nesses locais. As transações bancárias, por exemplo, podem ser feitas em casa, através do celular. É um apelo que fazemos e que tem o objetivo de preservar vidas”.

O Coronavírus é uma família de vírus que causa infecções respiratórias. A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou que o surto da doença no mundo já foi classificado como pandemia. A transmissão acontece de uma pessoa doente para outra ou por contato próximo por meio de toque ou aperto de mão, gotículas de saliva, espirro, tosse, catarro ou por meio de objetos ou superfícies contaminadas.

Recentemente, o prefeito Firmino Filho assinou decreto nº 19.548, que prevê o funcionamento mínimo necessário ao atendimento de demandas na área da indústria, comercio, logística e demais atividades essenciais.  As atividades consideradas não essenciais permanecem suspensas. O documento determina também que todos os estabelecimentos devem reforçar as medidas de controle de acesso e de limitação de pessoas nas áreas internas e externas bem como devem cumprir os protocolos expedidos pelos órgãos de saúde.