Os terminais de integração das zonas Sul e Leste estão funcionando a partir desde sábado, 04, com a área de embarque de passageiros com faixas de demarcações no piso com distância de 1,50m para que os usuários utilizem enquanto aguardam o transporte. Os fiscais dos terminais  também irão fazer o controle da quantidade de pessoas em cada veículo para evitar aglomerações. Após a lotação recomendável, os demais passageiros serão encaminhados para um  ônibus reserva.

Até a próxima segunda-feira, 06, os oito terminais de integração de todas as zonas de Teresina também estarão funcionando com essas mesmas determinações.

Para Weldon Bandeira, gestor da Strans,  é importante a compreensão dos usuários para evitar casos de aglomerações que vinham sendo verificados nos últimos dias. “Observamos que esta semana teve um aumento no número de passageiros nos terminais em relação à ultima semana quando foi verificada redução de 90% dos passageiros. Essas medidas são para evitar que os usuários estejam expostos aos riscos de contaminação pelo novo coronavírus. Pedimos a colaboração das pessoas para que respeitem os limites especificados nas demarcações para o seu próprio bem e de sua saúde”, solicita.

Segundo Coronel Jaime Oliveira, diretor de Operação de trânsito da Strans, as medidas estão sendo executadas pelos fiscais do sistema de transporte público que atuam nos terminais, com o apoio de policiais militares e guardas civis municipais. “É um trabalho em equipe para que tenhamos bom resultado. O ideal seria o isolamento social em obediência às orientações da Organização Mundial de Saúde e demais autoridades, mas quando não é possível temos que ter outras alternativas”, diz, informando que tem o apoio dos comandantes dos Batalhões do Convênio STRANS / PM- PI e da Guarda Civil Municipal.

Nesse período de pandemia do Covid-19, está decretado estado de calamidade e por meio do Decreto Municipal Nº 19.541 de 23 de março passado que está em vigor, o transporte público de passageiros está funcionando com frota mínima, prevista na Constituição.