O prefeito Firmino Filho reuniu a equipe de secretários, executivos, diretores e coordenadores dos órgãos públicos municipais para avaliar as ações de combate ao coronavírus implementadas pela Prefeitura de Teresina. A reunião aconteceu por videoconferência, como vem acontecendo em obediência à orientação de evitar as aglomerações.

O chefe do executivo municipal fez um panorama da situação da pandemia em todo o mundo. “Esse vírus chegou ao Brasil através dos aeroportos internacionais. Hoje, ele deixa um rastro de destruição, onde contabilizamos milhares de casos e centenas de óbitos. Um vírus pelo qual nenhum país do mundo estava com seu sistema de saúde preparado, seja ele público ou privado. O nosso foco é achatarmos essa curva, fazendo com que a gente possa reduzir picos de contágio e, assim, evitar que nossa gente venha a óbito por essa doença”, pontuou.

Durante a reunião, o prefeito pediu empenho dos gestores na realização de ações que venham a contribuir com a prestação de serviços para a população, mesmo em tempo de isolamento social. Ele citou algumas ações que estão sendo realizadas no âmbito da saúde, assistência social e segurança alimentar que estão impactando, sobremaneira, na vida de centenas de teresinenses que estão sendo assistidos pela Prefeitura, através das ações dos mais diversos órgãos.

Os secretários de cada pasta também tiveram a oportunidade de relatar as ações que vem adotando para prestar assistência aos teresinenses. As ações estão sendo executadas em várias áreas, como saúde, assistência social, cultura, esporte, capacitação e incentivo a geração de renda.

Por outro lado, o reforço também foi no pedido de redução de custeio da máquina administrativa, sobretudo nesse período de queda de receitas devido ao desempenho da economia ter ficado prejudicado devido à necessidade de fechamento dos estabelecimentos comerciais que não prestam serviços essenciais. “O que precisamos garantir é a prioridade no pagamento da folha salarial e também os recursos necessários para enfrentarmos essa pandemia. Essa é uma das maiores crises da nossa geração, do mundo. Os impactos econômicos serão grandes, mas nosso trabalho deve ser sempre voltado a preservar vidas. Vamos sair do outro lado mais pobres, mas vivos e fortalecidos para enfrentar o pós pandemia”, finalizou.