Como parte do termo de cooperação assinado entre a Prefeitura de Teresina e a ONU Habitat, a organização internacional disponibilizou uma ferramenta virtual para monitoramento de riscos na cidade, incluindo os causados pela atual pandemia do coronavírus. O programa foi adaptado para gerir e monitorar informações de riscos relacionados à COVID-19, coletando informações como áreas com maior número de pessoas apresentando sintomas, entre outras. A ideia é que, com o auxílio das informações e relatórios obtidos através da plataforma, a Prefeitura consiga ser mais eficiente nas ações de combate a esses problemas relacionados.

O programa, batizado de Hard, possibilita que a população repasse informações para os técnicos da Prefeitura, que analisarão os potenciais riscos e assim poderão agir de forma mais ágil e eficiente para evitá-los e combater eventuais problemas. Foi disponibilizado pelo Programa Global de Cidades Resilientes da ONU Habitat em parceria com a Clurb, uma startup de tecnologia, para as cidades que participam do programa, entre elas Teresina.

A ferramenta permite que tanto técnicos como cidadãos enviem informações sobre riscos e problemas na cidade. No caso da capital piauiense, o perfil identificado pelos técnicos da Prefeitura inclui riscos como alagamentos, fenômenos relacionados à mudança climática e doenças transmissíveis.

“Com a plataforma, teremos uma maior facilidade de monitoramento dos nossos riscos, coordenando nossas atividades, direcionando recursos e esforços de forma mais eficiente. A ferramenta gera automaticamente relatórios de análises de risco e dá agilidade na tomada de decisões, além de facilitar o acesso a financiamentos para garantir recursos”, explica Gabriela Uchôa, servidora da Prefeitura de Teresina que trabalha em parceria com a ONU Habitat.