De janeiro a abril deste ano a Superintendência de Desenvolvimento Urbano SDU Centro-Norte incluiu 46 famílias, que viviam em áreas ribeirinhas e de risco, no Programa Família Solidária. Essas pessoas moravam no Leonel Brizola, Parque Wall Ferraz, Nova Brasília, Dilma Rousseff, Poti Velho, Padre Humberto, Cristalina, Parque Stael, Vila Apolônia e Parque Brasil I, II e III.

De acordo com a gerente de habitação da SDU Centro Norte, Valmira Rodrigues, a adesão dessas famílias ao programa foi resultado de muitas visitas e diálogos. “Fazemos o trabalho de monitoramento o ano inteiro, por isso temos conseguido aumentar a quantidade de famílias beneficiadas pelo programa. Até hoje, já conseguimos acrescentar mais 17 famílias. Com isso, somamos o total de 46 beneficiadas”, enfatiza.

Valmira também explica que esse trabalho é feito em parceria com a Secretaria Municipal de Cidadania, Assistência Social e Políticas Integradas (Semcaspi) e tem conseguido garantir a segurança de muitas pessoas. “Essa ação garante moradia temporária para essas famílias por um período de seis meses a um ano, proporcionando um local digno para eles”, disse.

As assistentes sociais e técnicos fazem um trabalho diário nessas áreas e contam com a colaboração das lideranças comunitárias no sentido de conversar com as famílias para aceitarem a adesão ao programa. “Acompanhamos a rotina de vida dessas pessoas e por isso quando conseguimos fazer adesão das famílias ao programa é uma grande conquista’’, acrescenta.

A dona de casa Adriana Conceição da Silva, 36 anos, que reside no Parque Brasil I, relata que desde que foi incluída no Programa Família Solidária, há dois meses, está mais segura, pois a casa onde morava corria risco de alagamento no período chuvoso.  “Morava na minha casa com meus dois filhos, um de nove anos e o mais novo de três meses, e toda vez que chovia ficava com medo, mas desde que vim para o programa estou mais tranquila”, enfatiza.