A maioria dos infectados com o novo coronavírus em Teresina são jovens, com idade entre 15 e 34 anos. A constatação foi feita a partir da pesquisa de sondagem sorológica feita pelo Instituto Opinar, a pedido da Prefeitura de Teresina. O perfil foi traçado pelo estatístico Rodrigo Melo e pelo virologista Marcelo Adriano durante live nas redes sociais com o prefeito Firmino Filho na tarde deste sábado (02).

Durante a live, foram apresentados todos os pontos do levantamento que apontou que Teresina deve ter cerca de 7.600 pessoas infectadas com o novo coronavírus. Ao analisar os dados, os especialistas constataram ainda que, na faixa etária de 0 a 14 anos, apesar de representar 22% da população da capital, o percentual de infectados era zero. “O que podemos observar é que essa faixa etária é mais controlada pelos pais e, como teve a suspensão das aulas, eles ficaram mais protegidos de serem infectados. Apesar disso, eles são importantes vetores de transmissão. Por outro lado, os jovens na faixa de 15 a 34 anos, que representam 39% da população, concentram 54% dos casos positivos”, pontuou o virologista Marcelo Adriano.

A maioria dos casos positivados na pesquisa foi de pessoas que residem na zona Leste da capital. Apesar deles representarem apenas 19% da população, 38% atestaram positivo para a doença. A zona Norte concentra 29% da população da capital, mas registrou apenas 15% dos casos. “Encomendamos essa pesquisa para traçar esse perfil e sabermos o comportamento do vírus em Teresina. Ela foi feita em duas etapas (16 a 19 abril e 24 a 26 de abril), testando 900 pessoas em cada etapa. Os números, além de traçar o perfil, revela que temos ainda muita subnotificação e isso também vai nortear as ações que deveremos adotar para garantir o isolamento social e, assim, reduzirmos a velocidade de propagação do vírus, podendo salvar vidas”, pontuou o prefeito.

Marcelo Adriano explicou ainda que uma pessoa pode transmitir o vírus para outras 2,5 pessoas, em um intervalo de 14 dias. “Tivemos as pesquisas feitas em um intervalo de sete dias, de uma para outra. Isso aumentaria em 125% o número de casos e o aumento que tivemos foi de cerca de 60%. Ou seja, as medidas de isolamento adotadas foram eficazes para que não tivéssemos alcançado um número grande de infectados”, explicou.

Segundo o estatístico Rodrigo Melo, o levantamento apontou ainda que 31% dos casos positivos foram detectados entre profissionais com carteira assinada e funcionários públicos. “Entre os empresários, autônomos e profissionais liberais, o percentual ficou em 38%, já os estudantes, aposentados e trabalhadores do lar confirmaram 15% dos positivos, enquanto desempregados contabilizaram também 15% dos positivados”, pontuou.

Outro dado importante da pesquisa é sobre o índice dos pesquisados que possuíam alguma doença pré-existente. O levantamento apontou que 15% deles eram hipertensos, 15% obesos e 8% eram pacientes asmáticos.

Entre os positivos, 77% deles afirmaram sentir dores de cabeça, 62% relataram dores de garganta, 54% dor no corpo, 46% febre, coriza e dor nas juntas e outros 23% sentiram falta de ar. O percentual é superior a 100% porque algumas pessoas relataram sentir mais de um sintoma da doença.

O prefeito Firmino Filho finalizou destacando que as pesquisas por amostragem já estão sendo adotadas em outras cidades do Brasil e do mundo, como um norteador para as ações a serem executadas e afirmou que outras etapas da pesquisa já começaram a ser feitas em Teresina e os resultados serão apresentados tão logo sejam finalizadas.