O índice de isolamento social em Teresina vem oscilando nos últimos dias, tendo registrado percentuais abaixo de 50%, em alguns dias nas semanas que se passaram. No último domingo (03), esse índice ficou em 55%, inferior ao que costuma ser registrado aos domingos, que geralmente apresenta percentuais acima de 60%.

Os números continuam abaixo do que espera a Organização Mundial da Saúde (OMS), que estima que o percentual mínimo necessário para conter um avanço maior do vírus deve ser de 73% de isolamento social. Diante disso, a Prefeitura de Teresina está se empenhando para endurecer ainda mais as medidas restritivas, que obrigam as pessoas a ficarem em casa. A partir desta segunda-feira (04), por exemplo, o transporte público está suspenso para a população em geral e liberado apenas para quem atua em serviços essenciais e, portanto, precisa sair de casa.

A região que apresentou o maior índice de isolamento social em Teresina, no último domingo, foi a centro-norte, com 55,24%; seguida da região sul, com 54,84%. Em terceiro lugar ficou a região leste, com 53,96%, e por último vem a região sudeste, com um percentual de 53,19%.

Quando se analisa por bairros, o que apresentou o menor índice de isolamento social em toda a capital foi o bairro Alegre, com 48,1%; seguido do Comprida, com 48,8%. Os bairros Santo Antônio, Mafrense e Angélica também aparecem na lista dos cinco com o menor percentual de pessoas que ficaram em casa. Na outra ponta da tabela, quem apresentou o maior percentual de isolamento social foi o bairro Basilar, 63,45%; seguido do Parque São João, com 62,2%. O Centro da cidade, o Parque Poti e a Matinha também aparecem entre os bairros com maior percentual de pessoas que ficaram em casa, em Teresina, no último domingo.

Esse levantamento é feito diariamente, pela startup recifenso InLoco, que analisa o deslocamento da população por meio de georeferenciamento, usando a localização dos smartphones de quem vive em Teresina.