Desde segunda-feira (04), as Superintendências de Desenvolvimento Urbano (SDUs) estão enviando equipes para casas lotéricas e correspondentes bancários com o objetivo organizar o distanciamento nas filas e assim reduzir o risco de contaminação pela Covid-19. Além disso, realizam nesses locais um trabalho educativo levando orientações sobre medidas de prevenção e combate ao novo coronavírus.

Na zona leste são 34 profissionais que atuam em 13 agências lotéricas dando orientações de acordo com recomendações dos órgãos de saúde, como o uso das máscaras e o distanciamento mínimo de dois metros entre uma pessoa e outra. Durante a manhã e a tarde desta terça (05), o fluxo nas filas lotéricas das Avenidas Dom Severino, Pedro Almeida e dos bairros Pedra Mole e Satélite estavam dentro da normalidade, em virtude da atuação dos profissionais.

Na zona sul, as equipes estão atuando em 16 lotéricas e correspondentes bancários. Apesar da grande quantidade de pessoas que ainda procuram esses locais, está sendo possível organizar as filas, mantendo a distância determinada pelos órgãos de saúde. Um reforço importante neste trabalho vem de lideranças comunitárias da região, principalmente com a utilização de carros e motos com aparelhagem de som para transmitir informações.

“Estamos organizando as filas, pedindo para as pessoas manterem a distância ideal, ajudando na higienização, mas sempre lembrando que o mais indicado é só sair de casa quando não houver outra opção. As orientações que estão sendo lembradas com os carros de som também ajudam muito”, aponta Paulo Roberto, superintendente da SDU Sul.

Já nas regiões centro e norte, o trabalho acontece nos turnos manhã e tarde em 25 pontos, sendo enviada uma pessoa para os locais de menor fluxo e duplas para os mais movimentados. Adrieli Feitosa, que está fazendo o trabalho de orientação numa casa lotérica no bairro Aeroporto, relata que algumas pessoas ainda resistem em aceitar as orientações. “Especialmente os idosos têm dificuldade em entender as medidas, mas explicamos e, na maioria das vezes, eles acabam aceitando. Já as pessoas jovens respeitam o distanciamento, mas reclamam da obrigatoriedade do uso da máscara”, explica.

Para Adrieli é importante que a ação continue, pois aos poucos as pessoas vão se acostumando. “Tenho certeza de que no final da semana o distanciamento na fila será obedecido. Estamos fazendo um trabalho diário de convencimento e esperamos que com isso possamos reduzir o risco de disseminação da Covid-19 na nossa cidade”, enfatiza.

Na zona Sudeste, a Gerência de Controle e Fiscalização da SDU também está atuando no controle preventivo das filas de lotéricas e correspondentes bancários. Cerca de 20 colaboradores fazem a demarcação com fita amarela da distância mínima recomendada entre as pessoas e informam sobre as normas implantadas pelos decretos da Prefeitura de Teresina.

Keline Rosa é uma das colaboradoras da equipe de organizadores de filas e conta que, também na zona sudeste, muitas pessoas ainda desobedecem às normas. “Nós fazemos um trabalho educativo sobre as medidas de prevenção, mas muitas delas ainda não querem fazer uso da máscara. Quando isso ocorre, alertamos para o perigo ao qual aquela pessoa está expondo a si mesma e aos outros e tentamos conscientizá-la”, relata.