José Ailson

“Uma das mais notáveis representantes da cultura local, com forte expressão folclórica e que marcou a identidade da nossa música com canções que tratam da simplicidade da nossa gente”. Foi com essa definição sobre Maria da Inglaterra que o prefeito Firmino Filho lamentou hoje a partida da cantora e compositora piauiense e decretou luto oficial por três dias.

Para o prefeito, a cantora deixa um enorme legado para a cultura local e piauiense. “Mesmo sem saber escrever, Maria da Inglaterra compôs mais de duas mil canções. Com certeza sua genialidade, força, talento ficarão marcados para sempre em nossa memória. A cultura popular do Piauí não seria a mesma sem Maria da Inglaterra. O seu clássico “E o peru rodou” faz parte do patrimônio imaterial do nosso estado e com certeza continuará vivo”, disse Firmino Filho.

Maria Luiza dos Santos e Silva virou cantora aos 26 anos. Em 1973, na primeira vez que subiu em um palco, Maria da Inglaterra foi campeã do Festival Universitário, realizado no Teatro de Arena, em Teresina, com a música “O Peru Rodou”. Na década de 1980 participou do projeto Pixinguinha, no Rio de Janeiro. Em 2010, a cantora foi homenageada no Dia Internacional da Mulher pelo programa Domingão do Faustão.

Quando completou 77 anos, Maria da Inglaterra teve a carreira contada em um DVD. O projeto “Maria entre amigos” apresentou releituras de suas composições feitas por músicos do Piauí. Daniel Hulk, Roraima, Rosinha Amorim, Wanda Queiroz, Soraya Castello Branco, Iracema Teles, Luciana Nunes, Gonzaga Lu, Nadedja Leal, Chagas Moura e Duda Li participaram do projeto. Aos 79 anos, Maria da Inglaterra ganhou uma homenagem de amigos e virou história em quadrinhos.

A Prefeitura de Teresina e a Fundação Monsenhor Chaves emitiram nota de pesar se solidarizando com familiares e amigos, ratificando, principalmente, o agradecimento pela dedicação e exemplo de Maria da Inglaterra.