Uma única saída de casa foi suficiente para que Antônia Rosimeire Moura, 49 anos, fosse contaminada pela Covid-19. Dias depois, foi a vez de sua mãe, Isabel Moura, 78 anos, também contrair a doença. Após seis dias de internação no Hospital do Monte Castelo, mãe e filha tiveram alta hoje (11), e comemoram a vitória sobre a pandemia.

As duas procuraram atendimento no Hospital da Primavera e, posteriormente, foram transferidas para internação no Hospital do Monte Castelo, que é a referência na saúde municipal para o novo Coronavírus. “Elas deram entrada com quadro de síndrome gripal com suspeita de Covid-19. Durante a internação, a gente confirmou o diagnóstico das duas, então demos início ao protocolo de tratamento do hospital e as duas tiveram êxito”, conta a médica Giovana Paulo.

Antônia Moura conta que só foi informada sobre a internação de sua mãe dois dias depois. “Fiquei muito preocupada, pois tudo o que eu não queria era que ela pegasse, mas ao mesmo tempo fiquei tranquila por ela ter sido bem atendida no Hospital da Primavera, e por ter sido transferida para cá; aqui eu sabia que ela estava sendo bem atendida como eu fui”, elogia. Ela define a sensação de vencer esta batalha junto com a sua mãe como emocionante. “Eu fico emocionada, sabendo que é uma doença grave, mas que estamos nos recuperando. Agora estou preocupada com meus dois filhos, que são menores de idade e estão sendo acompanhados em casa”, relata.

Segundo a infectologista do Hospital do Monte Castelo, Maria Dolores, o próximo passo é dar sequência ao tratamento em domicílio e em isolamento por 14 dias. “Nós orientamos os familiares e os pacientes a se manterem em isolamento. O paciente, em um cômodo à parte da casa; se possível, com banheiro exclusivo para ele, e utensílios pessoais também exclusivos para a pessoa com a Covid-19. As pessoas podem se contaminar com o Coronavírus através de outras pessoas que têm o vírus. A doença pode ser transmitida de pessoa para pessoa por meio de pequenas gotículas do nariz ou da boca que se espalham quando uma pessoa com Covid-19 tosse ou espirra. O indicado é que a pessoa diagnosticada fique em isolamento por 14 dias”, explica a médica.

Após a experiência, Antônia Moura diz que acredita mais ainda na força do isolamento social como forma de prevenção à Covid-19. Ela diz que estava cumprindo as regras e saía apenas para casos de urgência, mas que acredita que contraiu o Coronavírus na única vez que teve que sair de casa: “As pessoas não acreditam, só acreditam quando passam por isso. Então o que eu digo para todas as pessoas é que elas tenham cuidado, mantenham o isolamento, e mantenham os cuidados. E a pessoa tem que entender o que realmente está acontecendo, que é muito difícil”, relata. “Eu tive sorte que ainda estava tendo vaga (na rede de saúde), e também agradeço muito. O isolamento que o prefeito decretou é um dos maiores cuidados que deveria ter sido dado, mas tem muita gente que não obedece, então o recado que eu deixo é que as pessoas entendam que é sério, que colaborem e fiquem em casa para cuidar da sua vida e da do outro”.

Segundo a diretora médica Ana Tecla, o Hospital do Monte Castelo tem apresentado grande êxito no tratamento de pacientes positivos para Covid-19. “O número de altas que estamos tendo é de quase de 100%, salvo aqueles pacientes que já tinham uma doença de base que descompensa, além do tratamento do novo Coronavírus. Nestes casos foi necessária a transferência para hospitais de maior complexidade, como o HUT. Diariamente temos altas com pacientes estáveis e assintomáticos”, comemora.

Segundo dados da Fundação Municipal de Saúde (FMS) e da Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), divulgados na noite de ontem (10), Teresina possui 786 casos confirmados do novo Coronavírus.