Teresina já apresenta 17.297 pessoas infectadas pelo novo coronavírus. Foi o que atestou a quarta etapa da pesquisa de investigação sorológica realizada pela Prefeitura de Teresina, em parceria com o Instituto Opinar. De acordo com a sondagem, a quantidade é 36 vezes maior que os 435 casos confirmados no domingo anterior à pesquisa, que foi realizada entre os dias 08 e 10 de maio, e houve um crescimento de 38% dos casos em relação à semana anterior.

O índice de positivados saltou de 0,56%, quando foi realizada a primeira etapa da pesquisa entre os dias 16 a 19 de abril, para 2,0% nesta quarta etapa da sondagem. “A queda do isolamento social coloca em risco a vida das pessoas. Já tivemos 23 óbitos na cidade de Teresina e a nossa única arma para evitar um desastre maior é a nossa atitude, e o apelo do poder público é para que as pessoas fiquem em casa. Com essas pesquisas tomamos a dimensão do problema e como está o vírus na capital. Está existindo o crescimento dos casos, o quadro ainda não é de estagnação e precisamos continuar tomando medidas para conter a disseminação do vírus”, avaliou o prefeito Firmino Filho.

Em relação à taxa de propagação do vírus, o conceito denominado de R0 (R-zero), que corresponde ao número médio de contágio causado por cada pessoa, nesta etapa apresentou uma queda e a taxa foi de 1,24%. A média mundial varia entre 2% e 2,5%, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS). “O R0 (R-zero) caiu, mas ainda não temos o que comemorar. Essa taxa menor do que 1 é que vai definir a possibilidade da abertura das atividades. Enquanto tivermos essa taxa maior que 1, que ainda é o caso de Teresina, não podemos flexibilizar o isolamento social. Falar em abertura do processo antes disso é irresponsabilidade”, disse Firmino

Os dados da pesquisa mostram também que região Sul da cidade segue crescendo no número de registros e apresentou o maior percentual de casos, 36%. Os números na zona Norte também aumentaram em relação à terceira etapa da sondagem e agora são 21%.  A zona Sudeste permanece com os 23%, o mesmo registrado na última pesquisa, e a zona Leste apresentou uma queda no número de positivados, e agora são 20% dos casos.

Um outra novidade nesta etapa diz respeito à faixa etária. A terceira etapa da pesquisa apontou que as crianças e adolescente estavam preservados da infecção e não houve registro de infectados com a Covid-19 na faixa etária de 0 a 14 anos. Nesta etapa, o cenário mudou e esta faixa etária já apresenta 11% dos casos positivados. No entanto, a população com idade entre 15 a 24 anos continua representa a maioria dos casos, 25%.

Em seguida, com 20%, estão as pessoas com idade entre 25 a 34 anos. Nas pessoas entre 35 a 44 anos, o índice de infectados está em 16%, na faixa de idade entre 45 e 54 anos o índice também subiu em relação à última sondagem e está em 14%. E nas idades entre 55 e 69 anos e acima de 70 anos o índice foi de 7%. Os casos de mulheres confirmados nesta etapa da pesquisa continuam maiores em relação aos homens e é de 55%.

“Vamos continuar a pesquisa nas próximas semanas. A quantidade de casos é crescente, mas o número de casos subnotificados é cada vez menor devido as testagens que estão sendo realizadas na cidade. Precisamos seguir esse processos de testes, rastreamento e isolamento, pois se continuarmos com crescimento de casos positivados isso pode impactar na situação dos leitos clínicos e leitos de UTIs, que já estão com 50% da sua capacidade ocupada”, destacou o prefeito.

A sondagem é feita em visitas residenciais com equipes composta por pesquisadores da Opinar, responsáveis pelos questionários, e técnicos da Fundação Municipal de Saúde (FMS), que fazem os testes rápidos para Covid-19. A pesquisa leva em consideração uma população estimada em 864.845 habitantes em Teresina.

Confira AQUI os dados da pesquisa.