O bairro Angélica, na zona Sul de Teresina, registrou 28% de índice de isolamento social nesta quarta-feira (13) e atingiu uma das piores taxas já registradas no município desde o início da quarentena. Os dados da startup InLoco são preocupantes, pois segundo a pesquisa de investigação sorológica, esta região da cidade concentra o maior percentual de infectados, com 36% dos casos da Covid-19.

Na capital, conforme os dados do monitoramento, a média de isolamento verificada nesta quarta-feira foi de apenas 46,4%, a mais baixa desta semana. Na segunda-feira (11), o índice apresentou uma média de 46,6%. Já na terça (12), o percentual teve um crescimento e ficou em 47,4%.

Além da zona Sul, a região Sudeste também vem apresentando índices de isolamento social muito abaixo do esperado. Nesta quarta-feira, o índice foi o menor registrado entre as zonas, com percentual de 43,23%. Em seguida, a zona Leste aparece com 46,88%. A região Centro Norte teve a melhor taxa, quando 47,94% das pessoas ficaram em casa.

Os dados apontam ainda que alguns bairros seguem apresentando os piores índices de distanciamento social. Depois do bairro Angélica, o bairro Santo Antônio apresentou percentual de 33,55%, que corresponde a segunda pior taxa de isolamento. Depois deles, os bairros Flor do Campo, Parque Juliana e Vale do Gavião aparecem com os piores índices, com 37,6%, 38,5% e 39,67%, respectivamente.

Na quarta-feira, a melhor taxa de distanciamento social, de 56,75%, foi registrada no bairro Ininga. Em seguida no ranking, com índice de 56,60%, aparece o bairro Matinha. Os bairros Brasilar, Cabral e Centro também tiveram índices acima de 50%: 54,55%, 54% e 53,4, respectivamente.

A Prefeitura de Teresina também está acompanhando os índices de isolamento social através de informações geradas pelas operadoras de telefonia celular. Segundo essa outra base de dados, que disponibiliza informações de mais de 1 milhão de telefones, 50,8% dos teresinenses não descumpriram as regras de distanciamento e permaneceram em casa na quarta-feira.

Com base nos dois indicadores de taxa de isolamento, o índice está variando em torno de 50% e representa um afrouxamento do distanciamento social. “Nosso isolamento deu certo nas primeiras semanas, mas da quarta semana em diante foi diminuindo. Estamos muito abaixo do que espera a Organização Mundial da Saúde (OMS), que estima que o percentual mínimo necessário para conter um avanço maior do vírus deve ser de 73% de isolamento social. Infelizmente, a repercussão dessa diminuição já pode ser vista no aumento da quantidade de casos confirmados, leitos hospitalares ocupados e fatalidades registradas em Teresina”, lamentou o prefeito Firmino Filho.