No dia que marca a luta por direitos das pessoas com transtorno mental, Dia Nacional da Luta Antimanicomial, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) de Teresina reforça os três serviços disponibilizados para o atendimento em saúde mental da população durante a pandemia do novo coronavírus: psicólogos pelo telefone 0800 291 0084, assistência nos sete Centros de Atenção Psicossocial (CAPSs) para pessoas com transtornos mentais graves e persistentes e o Provida, específico para atender pessoas com comportamento suicida.

“Qualquer cidadão, pessoas com transtornos mentais, têm o direito fundamental à liberdade, o direito a viver em sociedade, além do direito a receber cuidado e tratamento, sem que para isto tenham que abrir mão de seu lugar de cidadão. Nossos serviços estão de portas abertas para atender nossos pacientes em crise e fazer atendimentos de triagem e acolhimento a todos que venham a precisar dos serviços de saúde mental da capital”, afirma Isabel Karine, gerente de Saúde Mental da FMS.

Os sete CAPSs funcionam em dias úteis, das 8h às 11h e das 14h às 17h, e estão voltados para atendimento de pessoas em situação de crise psiquiátrica. Esses locais realizam a triagem e o acolhimento de pacientes que buscam espontaneamente o serviço. A entrega de medicação também está funcionando, mas as atividades coletivas foram temporariamente suspensas para evitar aglomerações.

Para ter acesso aos CAPSs qualquer pessoa pode ir diretamente sozinho ou acompanhado devendo, preferencialmente, procurar o CAPS que atende na região onde mora. Todos os endereços podem ser acessados através do link http://fms.pmt.pi.gov.br/rede-de-saude-mental-caps.

Em Teresina há ainda o Provida, ambulatório que conta com psicólogos e psiquiatras para atender pessoas com comportamento suicida. Ele funciona no Centro de Saúde Lineu Araújo. Os atendimentos com psicólogos e psiquiatras acontecem de segunda a sexta, de 8h às 11h e de 14h às 17h. Para ter acesso, basta ir diretamente ao local.

Em caso de urgências psiquiátricas, como surto psicótico e tentativa de suicídio, é possível chamar uma ambulância do SAMU, por meio do número gratuito 192, ou ir diretamente ao Hospital Areolino de Abreu, que é referência para esse tipo de atendimento e conta com médicos psiquiatras.