Nesta terça-feira (02), a Fundação Municipal de Saúde (FMS) apresentou à Câmara Municipal o balanço das ações em saúde no enfrentamento ao Coronavírus em Teresina. Entre as principais medidas, estão a construção de três hospitais de campanha para atender pacientes com Covid-19, a seleção temporária de 593 profissionais, a reformatação da rede pública de saúde e a aquisição de equipamentos.

O presidente da FMS, Manoel de Moura, informou que a necessidade de atendimento em saúde cresceu exponencialmente no Brasil. “Sabendo disso, a gestão estruturou toda a rede e definiu várias estratégias para evitar que as pessoas ficassem sem atendimento. O enfrentamento sério e organizado da pandemia fez com que Teresina figurasse entre as capitais do Nordeste com menor número de óbitos”.

Durante a apresentação, a diretora de planejamento da FMS, Cláudia Glauciene, relembrou que, em Teresina, o registro dos três primeiros casos de Covid-19 ocorreu em 19 de março e que a FMS já criava bases sólidas ao enfrentamento da doença. “Antes dessa data, foi decretada emergência em saúde pública na capital e a Diretoria de Vigilância em Saúde já tinha iniciado discussões com órgãos estaduais, municipais e Infraero sobre o plano de contingência, além de já ter criado fluxos e montado o Comitê COE”.

Cláudia Glauciene destacou a ampliação da capacidade de atendimento hospitalar com a construção de três hospitais de Campanha, estruturas temporárias para atendimento de casos suspeitos ou confirmados da Covid-19. “O Hospital Padre Pedro Balzi, localizado na quadra esportiva da UFPI, já está em funcionamento. Há ainda o hospital sediado no Lar da Fraternidade e o que fica anexo ao HUT, que contará com mais 60 leitos de UTI para acolher pacientes com quadro grave da doença”.

Em relação ao trabalho da rede hospitalar, a diretora de Atenção Especializada, Jesus Mousinho, explicou que foi reorganizada a rede pré-hospitalar e hospitalar, para garantir atendimento. “Foi reestruturado o hospital do Monte Castelo, o HUT e a maternidade do Promorar, para assistência a pacientes com Covid-19. Ocorreu a ampliação dos leitos de UTI no HUT e a criação de leitos de UTI no Hospital do Monte Castelo, além de ter havido a contratação da saúde suplementar”.

A rápida transmissão do Coronavírus motivou a gestão a setorizar o atendimento. Foi definido que 19 Unidades Básicas de Saúde (UBS) seriam exclusivas ao atendimento de pessoas com sintomas gripais, evitando a proliferação do vírus. “Essas UBS passaram a funcionar no turno da noite e todos os dias da semana. As outras 71 Unidades continuaram atendendo pessoas com outros problemas básicos de saúde, sem necessidade de agendamento de consulta de enfermagem ou médica”, explicou o diretor de Atenção Básica, Kledson Batista.

A reunião aconteceu por vídeo conferência e contou com a participação do presidente da FMS, Manoel de Moura e sua equipe técnica composta pelo diretor de Atenção Básica, Kledson Batista; diretor Financeiro, Franzé Chaves; diretora de Atenção Especializada, Jesus Mousinho; e diretor de Regulação, Francisco Pádua, além dos vereadores Evandro Hidd, Venâncio Cardoso, Enzo Samuel, Gustavo Gaioso, Dudu e Dr. Lázaro.

O vereador Venâncio, presidente da Comissão da Covid-19 na Câmara, agradeceu a disponibilidade da equipe técnica da FMS ao prestar esclarecimentos da área da saúde. “Eles abordaram todos os pontos importantes, mesmo após exaustivos questionamentos. Iremos solicitar oficialmente os dados à FMS para compor o nosso relatório e partilhar com os outros membros da casa. Reforço ainda que a Comissão criada está sempre buscando diálogo, fiscalizando e comunicando às ações para a população”.

Confira mais ações em saúde realizadas pela FMS durante a pandemia