Com o objetivo de auxiliar no combate ao coronavírus, cerca de 20 ateliês de Teresina estão confeccionando materiais de proteção individual para os profissionais que atuam nas unidades de saúde da capital. O projeto é resultado da parceria entre a Secretaria Municipal de Economia Solidária (SEMEST) e a Fundação Municipal de Saúde (FMS).

Segundo o secretário municipal de Economia Solidária, Ricardo Bandeira, mais de 115 pessoas estão envolvidas na produção de Equipamento de Proteção Individual – EPIs. “Estamos trabalhando nas mais diversas frentes, confeccionando máscaras, aventais e outros equipamentos. Esse é um suporte importante para essas famílias que são assistidas pelos Centros de Produção e também nos ateliês. Uma maneira delas contribuírem com a confecção desses produtos que estão escassos e garantirem renda”, pontua.

Além dos ateliês, a confecção de equipamentos de proteção individual envolve também os trabalhos das equipes nos centros de produção apoiados pela SEMEST. Na zona Sudeste, o Centro de Produção Montserrat da Mãe Ester de Iansã, conta com quatro pessoas que já estavam inseridas nas ações de corte e costura. “Nesse momento muitas pessoas estão sem trabalhar e temos a oportunidade de contar com esse projeto, além da satisfação de ajudar esses profissionais da saúde nesse momento”, conta Vânia Sousa, coordenadora do ateliê.

Júnior Trezeguet é cortador no Centro de Produção do bairro Santo Antônio. Ele conta que, além da questão financeira, também tem sido satisfatório trabalhar na produção de equipamentos de proteção ao combate à pandemia. “É muito gratificante que e SEMEST e a Fundação de Saúde estejam pesando dessa forma. Estamos contribuindo da melhor forma e nos ajudando também com o financeiro”, ressalta.