Teresina mais uma vez ultrapassa a marca dos 100 casos confirmados por COVID-19 em 24 horas. Segundo dados do painel epidemiológico da Fundação Municipal de Saúde (FMS), a capital registrou ontem (03) 109 novos casos da doença, totalizando 2.650 pacientes com o novo coronavírus desde o início da pandemia.

Quanto aos óbitos, Teresina registrou seis novas ocorrências, totalizando 107 mortes. Dentre os casos registrados ontem (03), estão uma mulher de 70 anos, hipertensa e diabética, residente no bairro Três Andares; um homem de 73 anos, hipertenso, morador do bairro Dirceu II; um homem de 86 anos, ex-fumante e portador de hipertensão do bairro Matadouro; e uma mulher de 84 anos, com câncer, do bairro Mocambinho I. Outros dois casos são do dia 02: um homem de 71 anos, hipertenso, do Residencial Jacinta Andrade e um homem de 66 anos, hipertenso e diabético, morador do Parque Ideal.

Os números refletem o aumento já demonstrado pela pesquisa sorológica que está sendo realizada pela Prefeitura de Teresina. A sétima etapa do estudo, realizada entre os dias 29 e 31 de maio na capital, revela que no período de um mês e meio a quantidade de pessoas infectadas na cidade foi multiplicada por 14,8. A estimativa é que o município já tenha 72.042 pessoas que foram infectadas pela Covid-19, um crescimento de 44% em relação à sexta etapa, onde foram atestadas 49.988 pessoas.

A enfermeira Wesllany Santana, do Centro de Operações de Emergências em Saúde Pública (COE) da FMS, comenta que a redução destes números depende de um reforço nas medidas de prevenção individuais preconizadas pela FMS. “O esforço tem que ser de todos e de cada um. Sei que não é fácil dizer para as pessoas ficarem em casa e que muitos precisam sair para trabalhar. Mas todos nós precisamos nos esforçar ainda mais, aumentar a frequência de higienização das mãos com água e sabão, reduzir ao máximo o contato com outras pessoas. Temos que fazer todo o possível para reduzir a disseminação da infecção”, alerta a enfermeira.