Nos primeiros quatro meses de 2020, a rede de saúde de Teresina realizou 2 milhões e 256 mil procedimentos de média e alta complexidade e 1 milhão e 76 procedimentos na área da Atenção Básica. O dado consta no Relatório de Prestação de Contas da Saúde, referente ao 1º quadrimestre desse ano e que foi apresentado pela Fundação Municipal de Saúde (FMS) aos vereadores, nesta quinta-feira (11).

O documento mostra que a Prefeitura de Teresina investiu, nesse período, 36,36% da sua receita própria para cobrir gastos com ações e serviços de saúde, percentual que corresponde a mais do que o dobro do exigido na legislação, que é de 15%. “O alto investimento representa o esforço em qualificar a rede de saúde da capital, que é referência na região nordeste do país”, explica o presidente da FMS, Manoel de Moura Neto.

A reunião foi conduzida pela diretora de planejamento da FMS, Cláudia Glauciene, e contou com a participação do presidente da FMS, Manoel de Moura Neto e da sua equipe técnica, além dos vereadores Venâncio, Luiz Lobão, Dudu e Graça Amorim. “A apresentação do relatório possibilita que os vereadores e a população tenham acesso às informações atualizadas sobre investimentos e serviços da saúde da capital piauiense”, finaliza Glauciene.

No que diz respeito ao conteúdo do Relatório, a Lei Complementar n°141/12 prevê que o documento deve conter informações como o montante e a fonte dos recursos aplicados no período; as auditorias realizadas ou em fase de execução; a oferta e produção de serviços públicos na rede assistencial própria, contratada e conveniada e, ainda, alguns indicadores de monitoramento relativos ao processo de pactuação interfederativa.