O prefeito Firmino Filho participou nesta segunda-feira de reunião virtual com membros do Ministério da Economia para tratar da Parceria Público-Privado (PPP) que a Prefeitura de Teresina pretende lançar para ampliar o acesso de crianças de zero a três anos de idade à educação na capital. Os detalhes desta PPP foram discutidos com a secretária do Programa de Parceria e Investimentos do Ministério da Economia, Marta Seilleir, e com o diretor de Programa, Marcel Olivi.

O objetivo da PPP é construir 40 Centros Municipais de Educação Infantil (CMEIs) em áreas estratégicas da cidade para crianças de 0 a 3 anos. A ideia é atender a meta do Plano Municipal de Educação com a oferta de mais vagas para crianças nesta faixa até 2025.

“A reunião foi importante para acertar detalhes, pois estamos fechando contrato com o BNDES para fazer uma estruturação dessa PPP. A ideia é de investimento físico, pois temos um déficit gigantesco de creches no país e o setor público não tem capacidade a curto prazo de cumprir. Portanto, o nosso desafio é construir as creches. E este projeto nos auxiliará na ampliação do atendimento a este público”, avaliou o prefeito.

A gestão municipal também está fechando com a Caixa Econômica um projeto de PPP para Drenagem Urbana. “Essa PPP busca atender as metas do Plano Diretor de Drenagem e do Plano Municipal de Saneamento Básico, através de investimento, manutenção e gestão de diversas estruturas relacionadas à drenagem urbana, como o Sistema Lagoas do Norte”, informou Monique Menezes, secretária municipal de Concessões e Parcerias, que também acompanhou a reunião virtual com os representantes do Ministério da Economia.

A secretária acrescenta que, ainda sobre PPPs, a Prefeitura lançará até o mês de agosto consulta pública da PPP das Usinas Fotovoltaica. “Essa PPP visa contribuir na redução de até 40% da conta anual de energia elétrica do município, com a implantação de três mini usinas fotovoltaicas em Teresina. Estamos também trabalhando no projeto da PPP de Resíduos Sólidos, que também já está em andamento, cuja proposta abrange coleta, transbordo, transporte, tratamento e manejo dos resíduos sólidos. Nossa previsão é que em setembro seja lançada também para consulta pública”, enfatizou.