Ascom/FMS

Em mais uma ação para conter o avanço do novo coronavírus em Teresina, a Fundação Municipal de Saúde (FMS) está realizando busca ativa dos casos de COVID-19 e seus contatos. Este trabalho também está acontecendo na zona rural de Teresina, e uma das Unidades Básica de Saúde (UBS) envolvidas é a UBS João Cirilo, na comunidade Boa Hora, que está usando a tecnologia a seu favor para acompanhar os usuários infectados pelo novo coronavírus e fazer o rastreamento de seus contatos.

Como explica a enfermeira Lívia Viana, da UBS João Cirilo, assim que um morador da comunidade é diagnosticado com COVID-19 a equipe Estratégia Saúde da Família é notificada com informações sobre seu estado de saúde e endereço. “Durante a visita, fazemos o teste rápido dos moradores da casa, cadastramos e pedimos o telefone de um responsável por aquele núcleo familiar. Através dele, monitoramos aspectos como a evolução dos sintomas, se apareceu algum sintoma novo ou e como tem sido a evolução com o uso das medicações prescritas. Também tiramos dúvidas e orientamos sobre o encaminhamento de acordo com cada caso”, explica a enfermeira.

Ela conta que o acompanhamento pode ser feito de duas formas: por meio da atuação do agente comunitário de saúde da área e também pelo telefone, por meio do aplicativo WhatsApp. “Dependendo da evolução de cada caso, a gente vai atendendo da melhor forma. Por exemplo, se for preciso mudança de medicamentos ou realização de algum outro exame, a gente vai orientando via remota ou através do agente. Desta forma, mantemos o isolamento da família sem perdermos o controle desses pacientes, tanto do primeiro sintomático como dos outros familiares, sendo testado positivo ou não”, informa Lívia Viana.

A usuária M.P.P., de 44 anos, está sendo acompanhada junto a sua tia, que está com COVID-19. Mesmo sem apresentar sintomas, ela conta que está sendo assistida pela equipe e, mesmo remotamente, pode tirar suas dúvidas para melhor proteger os outros integrantes da família que não contraíram a doença. “A equipe está sempre do nosso lado tentando resolver nosso problema da melhor maneira possível, dando informações corretas para que possamos nos cuidar melhor”, relata.

O objetivo do trabalho é evitar que a família vá até a UBS e possa assim cumprir o isolamento necessário para evitar o contágio. “Durante a visita, reforçamos sobre a importância do isolamento e de cumprir a quarentena de 14 dias”, ressalta Lívia Viana. “Além disso, tratamos de aspectos como os cuidados com a higiene, com a alimentação, toda a questão do manejo da doença em si e do pós isolamento, além de pedir para que mantenham contato pelo telefone, justamente para evitar que eles tenham que ir até a unidade”, diz a enfermeira.