Um total de 141 mulheres procurou pela primeira vez o Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) para pedir orientação em caso de violência durante esse período de isolamento social em virtude da pandemia do novo Coronavírus. Desde o início da pandemia a unidade, que é vinculada à Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM), faz o uso do sistema de teleatendimento para atender mulheres vítimas de violência na capital e contabilizou até o dia 12 de junho de 2020 total de 283 atendimentos.

Segundo a coordenadora do CREG, Roberta Mara, além das 141 mulheres que procuraram a unidade pela primeira vez, também foram solicitados 84 atendimentos a mulheres que já são vinculadas à unidade, entre outros tipos de atendimentos.

“Os atendimentos são realizados mediante as especificidades de cada caso por profissionais especializados, como psicólogas, assistentes sociais e membros da área jurídica. Os mais solicitados durante esse período foram os referentes à área jurídica, que envolvem orientações sobre denúncias e requerimentos de medidas protetivas. Mas também são realizados acolhimentos de suporte psicológico, que auxiliam na fragilidade emocional das mulheres, e, por último, o social, que oferece apoio às mulheres em situação de vulnerabilidade”, esclareceu a coordenadora.

De acordo com a gerente de Enfrentamento à Violência da SMPM, Lidiane Oliveira, é necessário ter um olhar atento a esses dados, como também monitorar a situação dessas mulheres após esses atendimentos. Além de destacar o período de isolamento social como um fator para o aumento nos atendimentos da unidade, a profissional atribuiu os números significativos à implantação do contraturno, que permite a realização de atendimento nos turnos manhã e tarde e também aos fins de semana e feriados.

“O Centro de Referência passou a funcionar ainda nesse período de distanciamento social de forma mais ampla, aumentando o suporte a essas mulheres que precisam de atendimento ou orientação. É importante destacar que a unidade não é um canal de denúncia, ela oferece orientação às mulheres em situação de violência. Para isso temos profissionais capacitados, uma equipe multidisciplinar para o suporte necessário”, afirmou a gerente.

Nas redes sociais, a SMPM (@smpmteresina) vem realizando desde o início desta semana uma campanha de incentivo para às mulheres procurarem ajuda no Centro de Referência Esperança Garcia ou em alguma instituição de apoio a mulheres vítimas de violência. Na oportunidade, estão sendo postados vídeos curtos de outras mulheres que estimulam a realização de denúncias e a procura pela unidade.

Caso queiram realizar notificações formais de denúncia, as mulheres vítimas de violência devem procurar a Central de Atendimento à Mulher, pelo número 180, que atualmente é o principal canal de denúncia. Em Teresina, as mulheres também podem procurar as Delegacias da Mulher, que ficam localizadas nas regiões Centro Sul, Sudeste e Norte, pelos respectivos telefones: (86) 3233-2323 / (86) 3220-3858 / (86) 3216-1572 / (86) 99454-3940.

O Centro de Referência Esperança Garcia (CREG) atende mulheres em situação de violência na cidade de Teresina, oferecendo assistência social, psicológica e jurídica. Durante o período de isolamento por conta da pandemia, a unidade está realizando atendimentos por ligações ou via whatsapp através do número: (86) 99416-9451.