Foto: Ascom FMS

Na internação por Covid-19, o controle da absorção do oxigênio pelo corpo, por meio de aparelhos ou mesmo pela mudança de posição do paciente, pode promover uma evolução considerável no quadro de saúde. Por isso, o Hospital de Campanha Pedro Balzi, vinculado à Fundação Municipal de Saúde (FMS), está promovendo um treinamento para seus servidores sobre técnicas que facilitam esse processo. A ação começou hoje (08) e segue até sexta-feira (10), no próprio hospital, nos horários de 9h, 15h e 21h.

O treinamento aborda dois temas principais. Um deles é a oxigenoterapia, que é quando o paciente é levado a respirar uma quantidade maior de oxigênio do que a existente no ar. “É comum que os pacientes com Covid-19 evoluam para quadros de insuficiência respiratória, que é quando ficam com uma quantidade de oxigênio no sangue muito baixa. Uma estratégia terapêutica adotadas para corrigir essa insuficiência é a oferta de oxigênio”, explica o fisioterapeuta Saulo Carvalho.

Essa suplementação do gás é feita por diversas maneiras, como o uso de máscaras, cateter nasal, ou mesmo através da ventilação mecânica por meio de respiradores. “Nós esclarecemos quais as técnicas recomendadas para pacientes com Covid-19, de acordo com a natureza da doença, bem como das demandas individuais de cada caso, de forma a não ofertar oxigênio de forma reduzida nem excessiva”, afirma o fisioterapeuta.

Durante a ação, os profissionais de saúde também serão orientados sobre os benefícios da posição prona – que é quando os pacientes são posicionados de barriga para baixo – no tratamento da infecção pelo novo coronavírus. Saulo explica que isso acontece porque a posição favorece a interação entre o oxigênio fornecido pelo respirador e o sangue que chega aos pulmões do paciente. “Muitos deles têm um problema que a gente chama de distúrbio da relação ventilação perfusão, quando o ar e o sangue vão para áreas diferentes do pulmão, impossibilitando o contato e a troca gasosa, que é fundamental para o corpo. Além disso, quando posicionamos o paciente de barriga para cima o pulmão pode ser comprimido pelo peso de outros órgãos, o que não acontece na posição prona, quando o pulmão fica ‘em cima’ e facilita a troca”.

O fisioterapeuta ressalta que estes protocolos, quando feitos corretamente e de forma precoce, evitam complicações como a intubação de pacientes, pois uma melhor respiração leva a uma resposta rápida do organismo à doença.

O curso é aberto para toda a equipe multidisciplinar que atua no Hospital de Campanha Pedro Balzi: médicos, fisioterapeutas, enfermeiros e técnicos de enfermagem, com várias opções de horários para contemplar os diferentes turnos de plantões. “A gente elaborou um cronograma de capacitação para a equipe, com o objetivo de melhorar a assistência ao paciente e a qualificação do profissional para o atendimento específico dos pacientes de Covid-19”, diz a diretora Gina Nogueira.