A Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Promorar realizou, de janeiro a junho de 2020, 47.534 atendimentos, sendo 33.844 em clínica geral e 8.598 em pediatria, além de 5.092 atendimentos com cirurgião geral. De 1º de março a 30 de junho, foram 4.700 atendimentos a pessoas com suspeita de COVID-19. Na unidade existem 27 leitos, sendo que 15 são exclusivos para casos de pessoas com o novo coronavírus. As UPAs devem ser procurar por pessoas com quadro intermediário de saúde.

Os casos leves devem se dirigir para as Unidades Básicas de Saúde mais próxima de onde a pessoa mora. A UPA faz parte da Rede de Atenção às Urgências e tem como objetivo concentrar os atendimentos de saúde de complexidade intermediária, compondo uma rede organizada em conjunto com a atenção básica, atenção hospitalar, atenção domiciliar e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência – SAMU 192.

“A UPA oferece estrutura com raio-X, eletrocardiografia, pediatria, laboratório de exames e leitos de observação. Se necessário o paciente é encaminhado para um hospital da rede de saúde, para realização de procedimento de alta complexidade”, explica Danilo Soares, diretor da UPA Promorar.

As UPAs funcionam 24 horas por dia, sete dias por semana, e podem atender grande parte das urgências e emergências. Presta atendimento resolutivo e qualificado aos pacientes acometidos por quadros agudos ou agudizados de natureza clínica e presta o primeiro atendimento aos casos de natureza cirúrgica e de trauma, estabilizando os pacientes e realizando a investigação diagnóstica inicial, de modo a definir a conduta necessária para cada caso, bem como garantir o referenciamento dos pacientes que necessitarem de atendimento

Mantém pacientes em observação, por até 24 horas, para elucidação diagnóstica ou estabilização clínica, e encaminham aqueles que não tiveram suas queixas resolvidas com garantia da continuidade do cuidado para internação em serviços hospitalares de retaguarda, por meio da regulação do acesso assistencial.

Veja exemplos de quando procurar uma UPA 24h: febre alta acima de 39ºC; falta de ar intensa; dores fortes no peito; vômito constante; fraturas e cortes com pouco sangramento; infarto e derrame; queda com torsão e dor intensa ou suspeita de fratura; cólicas renais e crises convulsivas.