A circulação de usuários que utilizam o aplicativo Colab em Teresina e apresentam sintomas da Covid-19 caiu de 26% para 17% nas últimas semanas. As medidas mais restritivas adotadas pela Prefeitura, principalmente aos finais de semana, podem ter influenciado na queda do número de pessoas se deslocando pela cidade.

A redução foi mensurada pela plataforma Brasil Sem Corona, um movimento que trabalha em parceria com o Colab e a Epitrack, referência internacional para detecção de epidemias. O objetivo é diminuir a disseminação do novo coronavírus pelas cidades, mapeando os casos de Covid-19 e as regiões com risco de surtos, para ajudar as equipes de saúde das prefeituras e governos estaduais e federal a combater a epidemia. O aplicativo calcula a taxa de mobilidade geral e de pessoas com sintomas através da geolocalização dos usuários, considerando o deslocamento de mais que 1.1km.

A diretora de Vigilância em Saúde da FMS, Amariles Borba, alerta que, apesar da redução, a população deve ficar atenta para evitar deslocamentos desnecessários devido ao risco de transmissão do vírus. “As pessoas sintomáticas devem ficar em casa e não fazer grandes deslocamentos pela cidade. Como pessoas com sintomas leves e mesmo assintomáticos podem transmitir o novo coronavírus, é essencial continuar a enfatizar a importância do isolamento social. É importante intensificar as medidas individuais de prevenção e controle da transmissão até que seja feito o controle da epidemia”, explica.

Teresina é uma das mais de mil cidades brasileiras que utilizam a plataforma Brasil sem Corona, que tem o objetivo de mapear os casos de Covid-19 no país. São mais de 15 mil usuários teresinenses cadastrados no aplicativo, que está disponível para aparelhos Android e IOS.

Especialista em saúde pública e membro do conselho cientifico do Brasil Sem Corona, Julia Lee, destaca que a plataforma complementa a vigilância tradicional, pois através da participação do cidadão são adquiridos dados em tempo real e diários da situação de pessoas com sintomas de Covid-19 na região.

“Além disso, como sabemos que há um atraso do início dos sintomas até a notificação de casos, a vantagem dos dados da plataforma em tempo real é que podemos antecipar o aumento de casos suspeitos de Covid-19, direcionando as investigações e estratégias de preparo e resposta a essa previsão. Por fim, a plataforma traz uma ferramenta a longo prazo de monitoramento da epidemia, que enriquece a vigilância tradicional já que complementa áreas em que a tradicional tem limitações”, ressalta.

Para ter acesso ao Colab, o usuário precisa baixar e criar um perfil no aplicativo. Ao se cadastrar, o cidadão pode responder diariamente um questionário sindrômico reportando o que está sentindo, se já realizou testes laboratoriais para Covid-19, se teve contato próximo com pessoas com sintomas relacionados à doença e se reside com pessoas com mais de 60 anos.