Fotos: Ascom SMPM

Cerca de 90 guardas municipais que pretendem atuar na Guarda Maria da Penha, estão passando por capacitação que iniciou nesta segunda-feira (10). O encontro é realizado em parceria pela Secretaria Municipal de Políticas Públicas para Mulheres (SMPM).

“A nossa função é formar agentes conscientes e próximo da temática de gênero, sobre as desigualdades e as realidades das mulheres em Teresina, para que eles possam atuar de forma efetiva e acolhedora”, afirmou Tathyana Lima, psicóloga da SMPM.

Os agentes trabalham com um público bem específico, que são as mulheres em situação de violência e que possui medida protetiva de urgência e que são acompanhadas pelo Centro Referência das Mulheres em Situação de Violência Esperança Garcia (CREG), segundo a psicóloga da SMPM, isso requer que os agentes estejam qualificados, para desenvolverem o seu trabalho de maneira mais efetiva com essas mulheres.

“A gente atua diariamente com casos que envolvem agressão doméstica, é importante para nós sabermos como atuar diante a estas situações, como por exemplo a forma como abordar a mulher, porque é necessário uma bom acolhimento, e com essa capacitação aprendemos como devemos fazer uma escuta qualificada, além de conhecer quem faz parte rede de apoio e acolhimento a mulher”, disse o guarda municipal Tiago Feitosa.

Na qualificação será abordado temas relacionado ao gênero, como as desigualdades de gênero, a realidade da mulher no Brasil e em Teresina, os padrões de masculinidade, comunicação não violenta e temas mais específicos da realidade dos guardas, como a lei Maria da Penha, as práticas do dia a dia, instrumentais utilizados e a parceria com o Centro de Referência.

“Como guarda municipal e homem, eu percebo que essa qualificação reforça a importância de modificar as crenças machista, que temos desde a infância e acabamos reproduzido em nossa vida”, complementou Tiago.