Com o objetivo de humanizar e melhorar o atendimento aos munícipes, a Superintendência de Ações Administrativas Descentralizadas (SAAD/Leste) vai iniciar, dia 20, uma grande reforma estrutural nos cemitérios Santa Mônica, Morros e São Judas, situados na zona Leste de Teresina. As intervenções nos espaços trarão mais comodidade e conforto às famílias, no momento do sepultamento de seu ente querido.

Paulo Nunes Cordeiro, gerente de obras e serviços da SAAD/Leste destacou que as reformas vão começar pelo cemitério Santa Mônica, no bairro Pedra Mole, onde as estruturas estão bem precárias.

“Começaremos pelo Cemitério Santa Mônica, que passará por uma ampliação de quase 7.000 m², de uma área existente de 14.500 m², como também o aumento do número de túmulos, com 1.872 novas unidades; a construção de uma nova administração, com arquivo interno e banheiros acessíveis; salas ecumênicas de velório e a criação de um pátio externo para a família enlutada. São estruturas planejadas para atender todas as necessidades da família no momento de despedida de seus entes queridos”, ressaltou Paulo Nunes.

(Foto: Divulgação/ SAAD Leste)

Para o superintendente da SAAD/Leste, James Guerra, a ação tem o objetivo de reestruturar os espaços, que necessitavam de uma urgente reforma e de levar dignidade à população. “Esses locais não recebiam uma reforma há anos. E apesar desse momento ser de muita dor, ele também é o de prestar homenagem a uma pessoa querida. Com a reforma estrutural, o espaço terá maior proteção contra possíveis degradações, além de proporcionar paz, dignidade e maior comodidade às famílias nos momentos do sepultamento”, salientou Guerra.

Sistema Construtivo Eco sustentável – Na reforma do cemitério Santa Mônica será desenvolvido um projeto piloto para a construção de salas de velório ecumênicas, unindo inovação fundamentada em tecnologia e sustentabilidade na construção civil. Segundo Marcelo Santos, diretor comercial da Isocret-ICF, será implantado um sistema construtivo eco sustentável, chamado ICF, que é uma forma de EPS (poliestireno expandido), comumente chamado de isopor, onde são preenchidas formas com concreto e aço.

 

“Essas formas se assemelham àquele brinquedo infantil Lego, que serão montadas junto às outras e preenchendo com concreto e aço. Esse sistema construtivo apresenta grandes vantagens, como a velocidade de execução das obras, concluídas em 50% do tempo de uma construção pelo sistema de alvenaria convencional. As paredes feitas de isopor assumem uma característica de serem termoacústicas, o que significa um conforto térmico no recinto, ideal para regiões quentes, como o Piauí. Outra grande vantagem, é que se fala muito hoje em sustentabilidade e com esta construção, temos a redução de quase 95% da madeira que usamos numa obra”, explicou Marcelo Santos.

O diretor comercial elogiou o interesse da SAAD/leste na construção sustentável e analisou que a gestão tem caráter diferenciado, com a valorização de todas estas questões ambientais e de humanização. “Particularmente, achei uma ideia sensacional pela questão social, de poder oferecer às famílias mais carentes a oportunidade de velar o corpo de seu ente querido de uma maneira mais digna, tendo um local apropriado para isso. De fato, é uma gestão diferenciada”, concluiu Santos.