Nesta segunda-feira (17), a Secretaria Municipal de Políticas Públicas para as Mulheres (SMPM) esteve presente em uma audiência pública da Câmara Municipal de Teresina, realizada de forma virtual, para tratar de programas e serviços para a população LGBTQIA+ em Teresina.

No dia 20 de abril, após reunião da secretária Karla Berger com Joseane Borges, presidente do Conselho Estadual LGBTQIA+, a SMPM enviou um pedido à Câmara Municipal de Teresina para realização da audiência, visando discutir a situação de vulnerabilidade das mulheres travestis e transexuais.

A Secretária Executiva, Marcela Portela, afirmou o compromisso da SMPM durante a reunião, principalmente nesta segunda-feira, que se celebra o dia internacional de combate a LGBTIfobia. Em audiência, ela citou os programas já oferecidos pela Secretaria para combater a violência contra esse público.

“São dados preocupantes, e nesta gestão, a SMPM conta com o serviço do Centro de Referência da Mulher em Situação de Violência – Esperança Garcia, onde conta com significativas ampliações, passando a acolher mulheres em diversas violências do tipo lesbofobia, bifobia e transfobia”, declarou a Marcela Portela.

Além disso, a Guarda Municipal Maria da Penha, recentemente passou por processo de qualificação para melhor atuar em casos de violência contra mulheres travestis, transexuais, lésbicas e bissexuais.

Durante a reunião, foi sugerido pela SMPM, um em parceria com a Fundação Wall Ferraz, a criação de cursos de capacitação direcionados para o público LGBTQIA+. Como também, um mapeamento junto à comunidade para colher as necessidades e cursos de interesse dessa população em Teresina.

“É uma forma de inserir essas mulheres dentro do mercado de trabalho, mas também, saber o que de fato essas mulheres gostariam e consideram interessantes para que elas possam ter novas oportunidades na sociedade”, informou Marcela.

Na reunião estiveram presentes os vereadores Venâncio Cardoso, Pollyana Rocha, a deputada Flora Izabel, a coordenadora de Diversidade da Coordenadoria de Estado de Políticas Públicas para Mulheres, Brena Félix, a superitendente de Direitos Humanos da Secretaria de Estado de Assistência Social (Sasc), Janína Mapurunga, e Joseane Borges, gerente de enfretamento a LGBTfobia da Superitendência de Direitos Humanos da Sasc.