Ainda com parte dos atendimentos voltados para pacientes infectados pelo coronavírus, o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) volta a registrar alta na quantidade de vítimas de acidentes de trânsito.

Mesmo com o movimento chamado “Maio Amarelo”, que chamou atenção da sociedade para o alto índice de feridos e mortos no trânsito e, apesar de restrições por conta da Covid-19, em maio houve 777 entradas por ocorrências de trânsito no HUT.
Esse número representa um aumento de 17% em relação aos quatro primeiros meses desse ano e 18% a mais em relação ao mesmo mês do ano anterior.

O índice desse perfil de vítima representa cerca de 80% dos atendimentos da ortopedia e traumatologia e quase 60% desses necessitam de cirurgias. O ranking de pacientes com envolvimento no trânsito é liderado por quedas ou colisões de motocicletas, que somam 87% do total dos atendimentos em maio, revelam os dados da Unidade de Estatística do HUT.
Fábio Marcos, diretor-geral do HUT, explica que a entrada desse perfil de paciente no Hospital envolve uma grande equipe.

Especialidades como ortopedia e neurocirurgia são as mais requisitadas nestes casos, mas de acordo com a complexidade, outras também são incluídas no atendimento como no caso das cirurgias geral, plástica, vascular e também bucomaxilofacial. Além disso, esses pacientes geram um período prolongado de internação hospitalar”.

A população economicamente ativa é a mais afetada por acidentes de trânsito. As vítimas desse perfil são a segunda maior entrada de pacientes no Hospital de Urgência de Teresina (HUT), principal referência pública no atendimento de poli traumas em Teresina e região que compreende 31 municípios do entorno.

Em maio houve 777 entradas por ocorrências de trânsito no HUT Foto(Ascom/HUT)