As aulas presenciais nas escolas municipais de Teresina devem ser retomadas no segundo semestre do ano. Para isso, a Prefeitura de Teresina organizou com a Secretaria Municipal de Educação (Semec) um Comitê Intersetorial Municipal de Gerenciamento das Ações Educacionais. Esta semana, o grupo esteve reunido com a equipe da Vigilância Sanitária para apresentar o protocolo de segurança sanitária montado para um retorno seguro.

Foto: Semec

O protocolo faz parte das diretrizes gerais, que incluem intervenções físicas na estrutura das unidades de ensino, campanha informativa e uma série de normas para manter o distanciamento entre a comunidade escolar. A rotina acadêmica voltará com restrições para evitar a disseminação do coronavírus.

De acordo com a Semec, as aulas serão retomadas no formato híbrido em agosto, presencialmente apenas com as turmas de 2º, 5º e 9º ano do ensino fundamental. A liberação das demais turmas está condicionada aos números de casos de Covid-19 em Teresina e aprovação da Vigilância Sanitária.

Durante o encontro de articulação para colocar em prática o plano de retorno gradual, foram organizadas visitas técnicas da equipe de inspeção da Vigilância Sanitária às escolas. As unidades de ensino devem se enquadrar no protocolo higienicosanitário definido pelo órgão.

“As escolas já estão passando por esse processo de adequação para cumprir as medidas de biossegurança, em parceria com o Conselho Municipal de Educação e os órgãos de saúde”, conta Ilhiane Rossy, assessora técnica da Semec e membro do Comitê Intersetorial. “Além disso, há todo um preparo para ações de acolhimento socioemocional contínuo dos alunos e professores, busca ativa dos estudantes e orientações para funcionários, pais e alunos sobre as diretrizes gerais a seguir”, completou.

A gerente de Vigilância Sanitária do município, Larisse Portela, destaca que as escolas devem seguir as medidas estabelecidas no Decreto Estadual com protocolo específico para o setor educacional. Entre os critérios para a liberação das aulas estão distanciamento entre as carteiras, uso obrigatório de máscara por alunos e funcionários, disponibilização de álcool 70% e correta e frequente higienização, bem como desinfecção, dos ambientes, mobílias e utensílios.

“A Semec nos entregou um plano de ação de retorno às aulas presenciais da rede pública municipal de ensino muito bem elaborado, levando em conta todos os protocolos publicados. Assim já pudemos alinhar as estratégias”, concluiu Larisse.