A Gerência de Serviços Urbanos (GSU) da Superintendência das Ações Descentralizadas Leste (SAAD Leste), através da Prefeitura Municipal de Teresina, realizou ontem (19), uma reunião com administradores, técnicos e representantes dos permissionários de mercados públicos e cemitérios da zona Leste de Teresina. A gerência é responsável pela coordenação e execução das atividades relativas à política de serviços urbanos.

De acordo com Renato Lopes, gerente da GSU, o órgão visa melhorar a gestão dos espaços e manter um estreito relacionamento com os permissionários, que prestam serviços para a Superintendência. Em relação aos mercados públicos, Lopes explicou que todos precisam seguir uma série de exigências para funcionar plenamente.

“Na pauta dos mercados estava a questão do recadastramento dos permissionários, a cobrança de taxas, responsabilidade e obrigações quanto à manutenção do seu ponto e o descarte correto do lixo. A questão da higienização é importantíssima, principalmente, porque estamos numa pandemia. Sabemos que como é um setor de local de venda de alimentos, estes devem ser acondicionados e higienizados corretamente. Os funcionários devem obedecer rigorosamente à exigência do uso correto da máscara e do álcool em gel, como também fazer o levantamento de todas as demandas necessárias para um melhor atendimento ao público”, ressaltou o gerente.

Reunião contou com administradores, técnicos e representantes dos permissionários de mercados públicos e cemitérios da zona Leste de Teresina. (Foto: Ascom/SAAD Leste)

Quanto à questão dos cemitérios, a SAAD-Leste pede aos administradores que façam um levantamento de campo em todos da região Leste, para que haja um recadastramento de todas as sepulturas existentes.

“Através desse recadastramento, teremos um número exato de quais sepulturas já estão perpetuadas, e as que não estiverem, iremos notificar as famílias para que venham regularizar a situação. No ato do sepultamento, a família tem 5 anos se for adulto e 3 anos criança, para requerer uma certidão de perpetuidade. Quem tem direito no ato do falecimento são marido e mulher, pais e filhos ou os descendentes mais próximos”, enfatizou Lopes.
Ele acrescentou que outros assuntos inerentes aos cemitérios foram discutidos como a construção das gavetas, a regularização dos horários de atendimento com plantão.

“Os cemitérios funcionam o dia todo, de segunda a segunda. Fizemos a reunião para que os funcionários fizessem o atendimento da forma correta e trouxessem também as necessidades de cada um, quanto à questão administrativa, materiais essenciais, para gerar eficiência e menos burocracia”, frisou Renato Lopes.