O Hospital Dr. Miguel Couto, do bairro Monte Castelo, zona Sul, completa neste sábado (28) 43 anos de funcionamento e desde 23 de março de 2020 é exclusivo para pacientes Covid e referência na rede municipal para tratamento dessa doença. Funciona com 49 leitos, sendo 30 leitos clínicos Covid e 10 leitos de UTI Covid.

Dados estatísticos do hospital apontam que este ano de janeiro a julho foram 1.007 admissões, 47 altas de pacientes curados e 629 pacientes de alta melhorado quando o paciente pode ter continuidade no tratamento da covid fora do hospital. Em 2020 de março a dezembro foram 1.354 admissões e 953 pacientes tiveram alta melhorado.

A equipe multiprofissional do Hospital do Monte Castelo tem inovado no acolhimento para pacientes Covid utilizando recursos como vídeo chamadas para agilizar a comunicação entre os pacientes e familiares. Além disso, a unidade foi o primeiro hospital público de Teresina a utilizar a tecnologia de ventilação mecânica não invasiva, que é menos agressiva que a intubação. Para Martina Costa, diretora geral do Monte Castelo, o acolhimento é muito importante na área hospitalar e mais ainda quando se trata de uma doença como a Covid.

O diretor clínico do hospital, Cícero de Sousa Neto, explica que a equipe de profissionais é capacitada para o atendimento aos pacientes. “Trabalhamos com todos os parâmetros e orientações sobre as medidas de precauções no que se refere a Covid-19, dispomos de medicação, temos os equipamentos de proteção individual em quantidade suficiente para todos, em conformidade com as normativas vigentes e o adequado dimensionamento dos profissionais para o funcionamento 24 horas”, diz.

O hospital teve reforma e ampliação concluída em 2015 e passou a atender a população de Teresina com estrutura moderna. O presidente da Fundação Municipal de Saúde (FMS), Gilberto Albuquerque, fala da capacidade de atendimento. “ É um hospital dotado de equipamentos, equipes de profissionais com muita capacidade técnica, medicamentos e toda a estrutura necessária para atender nesse momento de pandemia da Covid-19. Antes o hospital já tinha a sua importância no atendimento à população de Teresina com urgência 24 horas e internação”, cita.

Foto: Divulgação (FMS)