A Prefeitura de Teresina, por meio da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), reuniu carroceiros das zonas sul e norte de Teresina para prestar orientações sobre o correto descarte do lixo. O encontro aconteceu no Bairro Poty Velho e serão realizadas novas reuniões, com carroceiros de outras zonas, nas próximas semanas.

“Nós temos enfrentado um grave problema de descarte irregular de lixo. Em muitos casos, as pessoas jogam lixo ao lado do Ponto de Recolhimento de Resíduos (PRR). É uma situação muito preocupante. Por isso estamos tendo essas conversas com os carroceiros. A ideia é orientá-los sobre a correta destinação dos resíduos e sobre as punições que todos podem sofrer, caso coloquem lixo em local indevido”, explica o coordenador de Limpeza Pública da SEMDUH, Fabrício Amaral.

No encontro, foram destacados pontos relevantes como o tipo de material que deve ser descartado nos PRRs, a quantidade, os prejuízos que a Prefeitura está tendo com lixo em local proibido e o valor da multa, que pode ser até R$ 3.690. Os carroceiros também falaram sobre suas dificuldades e deram sugestões para a melhor localização dos contêineres.

O secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira, ressalta que os carroceiros podem ser grandes aliados da Prefeitura no combate ao descarte irregular de resíduos, visto que atuam diariamente em toda a cidade e podem ajudar a denunciar as infrações. “Queremos trabalhar em conjunto. Nossa intenção não é sair multando todo mundo. É orientar e unir forças. Se cada um fizer sua parte, todos saímos ganhando. Os carroceiros, a população, o poder público e o meio ambiente”, destaca o gestor.

A presidente da Associação de Trabalhadores em Veículo de Tração Animal de Teresina, Ana Cristina Lima, que representa os carroceiros, participou da reunião e se colocou à disposição para ajudar na mobilização da categoria. “Aqui já é meio caminho andado, porque a gente já estava precisando que a Prefeitura chegasse até nós para trabalharmos em conjunto. Essa reunião já é uma grande oportunidade que estamos tendo porque todos dizem que o problema são os carroceiros, mas na verdade, um carroceiro pode prejudicar a todos. Então estamos aqui para ajudar”, afirma.

Vicente Silva, carroceiro há 32 anos, considerou a reunião bastante positiva. “Se acontecer o que estamos falando aqui, é bom! Queremos a fiscalização para ajudar os carroceiros e não para atrapalhar. Assim como os carroceiros podem ajudar na coleta do lixo, colocando nos contêineres, em locais certos. Assim fica bom para os dois lados”, pontua.

Rogério Lima, carroceiro há 8 anos, frisa a importância da união entre o poder público e a categoria. “Queremos a união da Prefeitura com os carroceiros para ficarmos ajudando um ao outro, dando ideias no que tiver que melhorar. Vamos fazer nossa parte e nos vigiar também para deixar a cidade limpa e esperamos o apoio da Prefeitura no que diz respeito à localização dos contêineres para que os animais não percorram longas distancias”, diz.

Responsabilidade de quem contrata o carroceiro

O coordenador de Limpeza Pública ressalta que quem contrata um carroceiro também tem responsabilidade sobre a correta destinação do lixo. Ele explica que, em caso de investigação, a pessoa pode ser notificada e multada, pois ela precisa saber onde será descartado seu resíduo.

“Às vezes a pessoa faz a poda das árvores de sua residência ou quer se desfazer de um móvel velho, por exemplo, e contrata um carroceiro para fazer a retirada desse material da sua calçada, sem se importar ou refletir sobre onde esse carroceiro vai depositar esse material. Não pode ser assim. A pessoa tem que questionar o carroceiro, verificar se ele vai mesmo colocar no PRR mais próximo ou se vai colocar no meio da rua, onde é proibido. Caso ele cometa a infração, a pessoa que o contratou vai ser responsabilizada também”, alerta.

SEMDUH reuniu carroceiros das zonas norte e sul para orientar sobre o descarte de lixo. Foto: Divulgação (Semduh)

Os carroceiros sugeriram pontos para a implantação dos PRRs, de modo que os animais não precisem percorrer longas distâncias. Foto: Divulgação (Semduh)