As equipes da Secretaria de Desenvolvimento Urbano e Habitação (SEMDUH), por meio do Programa de Educação Ambiental, realizaram a limpeza da Vila Mocambinho III, às margens da lagoa. A ação aconteceu no dia 23 de novembro, mas horas depois, as equipes flagraram uma pessoa descartando irregularmente lixo no local já limpo.

A situação é tão crítica que a própria população instalou uma placa indicando que é proibido jogar lixo no local. No dia seguinte, 24 de novembro, a equipe de educação ambiental reforçou o serviço da SEMDUH, dando continuidade ao trabalho de conscientização dos moradores próximos.

“Em toda a região do bairro próxima de onde o lixão a céu aberto existia foi realizada a sensibilização da comunidade, com abordagem porta a porta, distribuição de folhetos e divulgação de vinheta em carro de som”, explica o coordenador de Limpeza Pública da SEMDUH, Fabrício Amaral.

Ele reforça que esse ponto crítico está sendo verificado diariamente e limpo pelo menos três vezes por semana. “Mesmo assim, após a saída das máquinas que retiraram os entulhos ao redor da lagoa, houve descarte irregular de lixo. Ao todo foram retiradas 12 carradas de resíduos do ponto”, acrescenta.

Além de causar prejuízos à saúde pública aumentando a proliferação de mosquitos, a Prefeitura reforça que jogar lixo em local proibido também entope as galerias e provoca alagamentos durante as chuvas.

As ações de conscientização de porta em porta estão acontecendo semanalmente, intercalando todas as zonas da cidade (norte, sul, sudeste, leste e centro). “Todos os meses serão listadas novas áreas no cronograma, para que possamos chegar ao maior número de pessoas possível”, afirma o coordenador.

O secretário da SEMDUH, Edmilson Ferreira, destaca que a Prefeitura está intensificando as ações de fiscalização dos pontos críticos e que as multas para quem jogar lixo em local proibido podem chegar a R$ 3.690.

“Jogar lixo nas vias públicas, especialmente perto de lagoas, é uma situação inadmissível. Quem faz isso não está se importando com os prejuízos gerados. Além de causar um impacto visual extremamente negativo, entope as galerias quando chove, atrai roedores, aumenta a proliferação de mosquitos e doenças e agride o meio ambiente. Não vamos fechar os olhos para essa situação. Quem jogar lixo em local proibido será multado”, enfatiza o gestor.

Foto: Divulgação (Semduh)